Por favor, se você for criança, não leia esse texto.





(USE CAMISINHA)

(Legendas: @verde- rubricas / @vermelho – Antônia / @vermelho entre parêntes – pensamentos de Antônia / @azul – Ivan / @azul entre parêntes – pensamentos de Ivan / Considerações iniciais: não medi as palavras nos pensamentos porque.. gente… em pensamentos não medimos nossas palavras)

Antônia e Ivan na mesa de trabalho em pleno sábado de manhã, lá pelas 10h, tendo que trabalhar até as 16h daquele dia. Os dois sem planos pro feriado de 7 de setembro. Antônia, bem bonitinha, mas nada segura de si, e seu amigo Ivan, sanguinário conquistador de mulherzinhas desavisadas e uma companhia nada agradável longe do escriório, são colegas de trabalho, nada mais. Nunca rolou nenhum clima até que…

– (O gato do Ivan e eu sozinhos em nossa mesa, é agora) Ivan! Sabe que dia é amanhã? É dia da conjunção carnal! (estou me oferecendo em termos jurídicos, como sou otária!)…

– (Conjunção carnal é sexo em linguagem jurídica? Por quê?) É mesmo, não é? (é hoje, meu querido, é hoje) [Aproximando-se de sua colega com a cadeira, falando baixo.] Antônia, eu sei que amigo é amigo, companheiro sexual é companheiro sexual, mas estou sem planos pra hoje, não quer comemorar comigo? (se ela disser não, falo que estou brincando. Não vou perder nada mesmo, ela nem é tão bonita assim)


– (nossa, achei que ele ia ser mais sutil… gostei!) Ah, poderia ser até… (hora do cu doce) [Se afastando] se você conseguir me seduzir, tô dentro.

– (não, eu que estarei dentro) Ótimo, mas você não quer esses negócios românticos, né?!


– (que otário, sexo bom é sexo casual) Não, não… Isso é para dia dos namorados, dia do sexo é dia do sexo e não vamos confundir as coisas. (odeio jantar romântico sem romance, e o Ivan é gato, mas não é muito bom de papo)


– [Chegando mais perto] (Ufa) Como é que pode uma menina tão bonita como você está sem companhia em cima da hora, assim?

– (Não estou, otário, estava me guardando pra você. Pergunta impertinente. Começou a putaria. [sorrindo] Engraçado como ele nunca tinha me olhado antes de eu falar sobre sexo) Estou estudando muito, tem muitos trabalhos na faculdade… Tô meio sem tempo pra fazer social. E ultimamente os homens andam obcecados por mulheres excêntricas! (diga que é obcecado por mim que eu faço coisas que eu nunca pensei em fazer antes)


– (ô mulherzinha que fala! Tá bom, mulher, já entendi.) Eu te acho muito sedutora (te comeria fácil), nunca te disse isso porque (tenho mulheres mais bonitas pra tentar comer) tenho medo de me rejeitar, mas como amanhã é dia do sexo (e não tenho ninguém em mente a não ser a minha ex que vai decidir hoje a noite se quer ou não fazer mais um extra conjugal), pensei que podíamos comemorar (já que parece uma eternidade que não dou uminha, mesmo essa eternidade tendo sido fim de semana passado, no milésimo remember com minha ex).


[Silêncio por um momento]


 [Sorrindo] (ah, claro, vai mentir lá na puta que pariu, seu mané. Se eu não tivesse sem sexo por… deixa os números pra lá… eu nunca ficaria com você) pois bem que eu concordo com uma comemoração nossa, mas [falando mais baixo] não podemos contar pra ninguém (eu não quero passar por otária conquistada pelo Ivan-ninfo-maníaco).


– Ah, claro, fechado. Onde você mora mesmo?

– Ali no Ibirapuera, perto do shopping, sabe?
– (Ai, caralho, olha onde eu vou me enfiar, não ando por aqueles lados! Pelo menos a garota mora bem) Ah, claro, você quer me encontrar em algum lugar ou o que?
– Não sei, onde você está pensando em ir (motel! Motel! Motel e você paga!)?
– Você sabe que eu moro com uns amigos meus, né?! Numa república?
– (Ah, eu adoro a época da faculdade!) Ah, é mesmo? Não sabia não. Onde?
– No Paraíso. Que tal me encontrar lá? Mando eles pra fora!
– (Paraíso ele vai sentir quando tiver comigo, hehe… ou não, ai…) Paraíso, é?[olhando pra ele como se falasse o que estava pensando “paraíso ele vai sentir quando estiver comigo”] (Será que o playboy não vai nem me buscar em casa?)[fazendo charme] não sei se tenho como ir… Meu carro está com meu pai enquanto arrumam o dele… (filho da mãe, eu já vou dar, nem pra me buscar?) [pensando]
– (acho que ela tá interessada, vou investir) Eu te busco então. Só que eu sou um pouco exigente e… (ela não tem cara nenhuma de fazer o que vou exigir, melhor ficar quieto antes que…)
– [interrompendo] Exigente sou eu, (quero dar pra valer a pena, tanto tempo que não dou uma boa) e sabe que já ouvi falar bastante sobre você?! (já ouvi falar que ele é conquistador, nunca ninguém me disse sobre ele na cama) Não sou de fazer fofoca, mas já fizeram propaganda sua pra mim. (acho que nem conheço ninguém que já deu pra ele, uma mentirinha não custa nada)
– (Quem falou essa mentira! Nunca fiquei com nenhuma conhecida dela… ela acha que eu já, mas é mentira!) [sorrindo nervoso] Jura? E o que falaram?
– (mais uma mentirinha ah ah ah) Que você é bom. Quero só ver. (Panaca… se não valer a pena eu me mato) [voltando ao trabalho]

(aí, agora fodeu. Se já falaram de mim é porque alguma coisa tem! Ela deve conhecer algum brother meu que eu menti falando que fiquei com alguém, preciso descobrir. O problema é que eu me garanto na conquista, mas na hora eu fico muito nervoso e acabo fudendo tudo, menos a mulher… bom, mas ela não precisa saber disso, qualquer coisa eu falo que estou envolvido emocionalmente… é melhor ser trouxa do que brocha!)

(coitado, ele acha que me engana. Ele ser pegador é fato, mas acha que me engana com essa conversa de exigente… Eu não me garanto na conquista, mas na hora é mais que garantido. Se ele for bom, vou dar tudo de mim, se não, deixo ele continuar pensando que sou uma careta! Vamos ver a noite, né?!)

De repente, toca o celular dela… É uma mensagem. “sei que está em cima da hora, e você já deve ter planos, mas vamos sair hoje a noite? Estou te devendo uma saída que prometi. Topa? Rica” Respondeu “sim, me liga mais tarde! Beijos” (se os dois me ligarem, eu escolho na hora, mas qual a chance? Aposto que vai dar em nada esse Ivan parece ser frouxa e o Rica… com o Rica nunca dá certo… quantas vezes já tentamos…)


– você me liga (doce ilusão)? [passando um papel com o telefone dela]


– claro! [sorrindo com os dentes] (se não tiver nenhuma outra gostosa na parada, gata)


Um pouco mais tarde, Ivan também recebe um SMS: “gato, sei que te recusei ontem, mas eu topo sair com você, vamos? Lívia”


(Há, duas numa noite? Vou pegar as duas! Uma hoje, outra amanhã já que segunda é feriado! Tem mais minha ex, a Amandinha-gostosa. Ah! Muleque! [se olhando na tela do computador apagada] Como você é foda.)


A noite, Rica e Antônia saíram. Ivan e Lívia também. Nossos dois personagens principais nunca mais falaram sobre esse assunto. Detalhe: Naquele dia, Antônia transou, Ivan não, que ficou no 5 contra 1.