Outro dia uma pessoa comentou que estou solteira porque eu quero. Foi aí que eu comecei a pensar. Primeiramente, pensar que não, que essa pessoa estava totalmente equivocada. Eu vivo falando de amores impossíveis, homens bonitos e um ou outro menino que poderia me fazer feliz e eu fazê-lo feliz.
Não estou apaixonada nem nada, mas se eu estivesse penso seriamente que eu não seria correspondida, pelo simples motivo de não existir ninguém apaixonado por mim, ou seja, não importa por quem eu me apaixone, ele endubitavelmente não estaria apaixonado por mim.
Depois de pensar nisso tudo, pensei que talvez eu seja muito exigente, que queira alguém que realmente me faça rir, ao mesmo tempo seja sério e responsável, que tenha planos e me ajude a avançar espiritualmente. Mas nem estou desesperada procurando, mesmo parecendo, não estou.
E será que a pessoa que me disse isso está realmente certa? Como estava certa uma outra pessoa que me disse que eu procurava nos lugares errados. Quem disse que eu preciso ter vários meninos no meu pé em uma balada para ser especial? Quem disse que preciso ser padrão de beleza para alguém gostar do meu sorriso? E quem disse que preciso gostar do que todos gostam pra me divertir?




Meu consciente sabe de tudo isso, mas meu insconciente insiste em duvidar da minha capacidade de conquista. Outro dia estava no carro com uma amiga minha, a Giu, e um menino de um carro do lado começou a conversar com a gente, eu nem dei bola, nem sabia o que era. O menino era bem bonito e ficou me paquerando. Eu pensei que ele estava me zuando, mas depois disse que amou o meu sorriso e queria me conhecer. Ele era lindo. E eu o perdi porque não confiei em mim mesma, já que praticamente o ignorei e pensei que era brincadeira. Não confio em mim mesma, mas no destino sim. Quando chegar a hora certa, vai dar certo.
De alguma maneira, tenho vontade de compartilhar a calma e tranquilidade que estou sentindo ultimamente. Se eu pudesse me expressar aqui o que eu sinto… É muito mais do que ter um namorado, entende? É compartilhar os sentimentos bons com o mundo. E não, esses sentimentos não são suficientes para curar a carência que as pessoas normais sentem – pessoas precisam namorar, ser amadas, de elogios… – mas já é suficiente para ser feliz sozinha. E esperar alguém que valha a pena.





Então sim, tenho certeza que estou bem sozinha. Mas certeza também que não é porque eu quero. Se alguém gosta de mim e quer ficar comigo, compartilhar os sentimentos bons e ruins da vida… porque eu não sei disso? É porque realmente não existe (no momento). Mas provavelmente isso não vai ser nenhum problema até o momento que eu me apaixonar e não ser correspondido, mas isso é conteúdo de outros posts já feito! E ah, lembrando que não estou caminhando sozinha!