Um exercício para praticar o perdão: ame a pessoa incondicionalmente e coloque na balança se os defeitos são toleráveis ou não. Seja como for, faça tudo com amor, nunca com raiva, sede de vingança.

Esse é um exercício muito bom de se fazer para curar feridas e perdoar. Lembrando que embora seja um exercício de perdão e pareça que o outro é o mais importante, na verdade o praticante é 100% responsável pelo sucesso. A outra pessoa nem precisa mais estar viva!

Pode ser feito para perdoar um companheiro ou companheira, pais, irmãos, amigos, ou qualquer pessoas com um laço afetivo. Talvez funcione com pessoas sem laço afetivo, mas nunca tentei. Você também pode fazer para perdoar você mesm@.

Faça esse exercício para tomar consciência de suas mágoas para ter a oportunidade de encaminhá-las a gaveta certa, ou seja, fazer o que estiver no seu alcance para resolver a questão.

Perdão: um alívio para quem perdoa

Sente-se ou deite-se de olhos fechados após ler com atenção essas orientações e siga da forma que mais combinar com seu momento. Essa é apenas uma ideia, inspiração. Respire… preste atenção à respiração e tente diminuir o ritmo.

Tenha compaixão e pratique o perdão

Tenha em mente viver o agora, estar presente de corpo e alma, sempre que se pegar no passado e no futuro, volte para o presente. Mesmo que tenha que trabalhar uma dor específica fora do presente, volte assim que puder para o aqui e agora, não se perca. Procure praticar o não julgamento e o desapego, pratique o perdão, a compaixão e o amor incondicional.

Para iniciar, diga as palavras a seguir e sinta-as de verdade: “Por favor, me perdoe, gratidão, eu te amo!”

Enquanto diz essas palavras de poder, visualize quem você deseja perdoar, pode ser outra pessoa ou você. Perceba como esse ser é aqui e agora, como ele se apresenta para você, quais suas características. Procure amá-lo como ele é, sem expectativas ou projeções, apenas ame-o como ele é.

Provavelmente, nesse momento, apareçam características dessa pessoa que você não aprecia tanto. Por exemplo, a pessoa pode trabalhar demais, ou ser muito perfeccionista, ser um pouco rabugenta, ou ainda ter um vício que você não gosta.

Perdoe-se por sentir-se assim. Seja qual mágoa tiver, você não precisa se culpar, pensar coisas horríveis de você. Tudo bem sentir essas coisas.

Qualquer sentimento negativo que encontrar é um sinal de algo que pode ser trabalhado em você, para que aceita a pessoa e possa perdoa-la. Esse processo te ajudará sentir mais leveza sobre as coisas. As pessoas não são perfeitas e não precisam mudar porque você não gosta de algo nelas. Quando há amor genuíno, amamos a pessoa e ponto.

Aceitar a pessoa por inteira, com suas características boas e ruins, é um grande passo para o perdão. Pratique a compaixão, tenha em mente que todos têm seus motivos para serem como são: criação, crenças, traumas, medos, falta de confiança. Quando amamos a pessoa, não queremos que ela seja perfeita, queremos que ela seja ela. Podemos ajuda-la no processo de desenvolvimento e evolução, mas cada um tem seu tempo e devemos respeitar.

Você é importante e suas emoções contam

Lembre-se que antes de amar os outros precisamos amar a nós mesmos, então, se a característica negativa do outro te faz mal, é contraprodutiva, conflita com seus valores… Se essa pessoa te machuca, provavelmente você está se autosabotando, porque todos merecem ser felizes, estar seguros, ter saúde e viver em paz.

Coloque na balança se aquele defeito específico é tolerável ou não. Se não for, aos poucos, procure fazer escolhas que tire você dessa situação, seja numa conversa franca ou num afastamento. Se for tolerável, procure ser sincero com o outro, diga que você não gosta disso, fale das características que está disposto a tolerar ou não. Pratique o perdão, a compaixão, o não julgamento. Seja qual for a situação, saiba que você é responsável pela sua felicidade, não caia na cilada de culpar os outros. Nós não temos como controlar e mudar os outros, apenas nós mesmos. Dessa forma, colocar a responsabilidade da sua felicidade nas atitudes do outro é autosabotagem.

Feito esse trabalho de colocar na balança, volte no agora, se houver outras mágoas, insatisfações e reclamações, volte a fazer o exercício. Siga pensando e sentindo “por favor, me perdoe, gratidão, eu te amo”

Limpe todos os ruídos, coloque os sentimentos ruins nas gavetas certas, dê encaminhamentos para os sentimentos ruins. Perdoe, tenha compaixão, tome decisões.

Se, colocando na balança, você escolher ainda manter-se próximo a pessoa, aceite seus defeitos, perdoe-a, seja feliz com essa decisão. Se você resolver se afastar da pessoa, tome essa decisão bem, tranquila, feliz, sem mágoas. Perdoe-a e deseje toda felicidade para ela, deseje que ela caminhe numa estrada de luz.

Lembre-se sempre de prestar atenção no que dói, pois assim fica mais fácil trabalhar, tirando a dor da sombra, jogando luz para, finalmente, viver íntegro.

Finalize com uma meditação da forma que costuma fazer e seja feliz :)

Recomendaso: 4 propostas para uma vida mais feliz e Meu filho me ensinou a perdoar