Estava meditando ao pôr-do-sol e me veio uma imensa vontade de enviar amor a todos que passassem por mim.

A primeira coisa que veio foi o pensamento de que é querer demais, pois isso daria muito trabalho. No entanto, nesse mesmo instante me veio o sentimento que o amor é infinito, com uma intensidade maior do que podemos imaginar e que nada seria mais fácil do que enviar amor a todos ali.

Assim que detectei essa crença e a desconstruí, senti o amor jorrando do meu Ser, junto com uma imensa gratidão por poder ser um canal de amor.

Por que eu me limitei, achando que seria difícil mandar amor para cerca de uma centena de pessoas (chutando)? Porque eu tinha uma crença limitante.

Porém, desconstruí logo porque sinto que quando me conecto com a energia infinita do amor, me sinto parte do Todo e compreendo que essa força também me pertence, eu sou essa força, assim como qualquer um de nós.

Não existe limite: mesmo se quisermos mandar “amor.” para todos os seres humanos vivos hoje, seriam apenas alguns bilhões de aspectos do Todo, sendo que ele tem infinitos aspectos, então é uma tarefa fácil  (vamos fazer?). A força do amor, infinita, consegue chegar a todos com a mesma intensidade.

Por isso, para mim, o amor é sempre a resposta para tudo, porque é a fonte de energia mais abundante, pura e energética que pode existir.

Para ser minha melhor versão, procuro me conectar com esse amor que não julga, não é apegado, é justo e incondicional. É o que chamamos de amor e ponto final.

Para acessá-lo, precisamos nos desidentificar do ego. Nem sempre é fácil, mas vale a pena.

Ao nos conectarmos com o “amor.” podemos encontrar nossas crenças mais profundas para desconstruir e nos aproximar de um Universo sem limites e nosso Eu Superior pode nos apontar quais são os medos que nos colocam barreiras e superá-los.

Dentro das infinitas possibilidades existentes no Universo, quem você quer ser?

Você acredita que pode ser qualquer aspecto humanamente possível? Tem crenças limitantes em relação a isso? Entregue-se, viva o amor verdadeiro.

A você que está lendo, amor.