Não me considero mais RESISTÊNCIA. Já me considerei resistência política, já não sou mais. Acredito que quem resiste são eles – resistem à mudança, mais direitos, mais liberdade, menos opressão.

A primeira vez que pensei sobre isso foi ano passado, quando uma amiga me perguntou se eu, deixando de lutar “na resistência” (ou sair na rua e militar), estaria aceitando a opressão?

Não.

Hoje eu me considero PERSISTÊNCIA. Persistência de que as ideias novas que estão por aí são, definitivamente, um caminho possível e com paz para toda a humanidade.

Direitos iguais, preservação do meio ambiente, autoconhecimento, tecnologia e acessibilidade de recursos para todos. Ideias novas, rejeitadas por quem ainda ganha oprimindo alguém, em alguma parte do globo, por razões que ninguém em sã consciência entende – muitas vezes de forma inconsciente, mas sem julgamentos, pois cada um possui um nível de consciência e está fazendo o melhor que pode, com o que tem.

Tudo me parece tão simples :) Basta que nos esforcemos para, ou nos adaptar a essas novas ideias (afinal, não importa sua idade, você pode evoluir sempre), ou ainda PARTICIPAR tentando melhora-las em comunidade.

Acha que uma ideia não é boa? PARTICIPA. Manda contribuições que realmente some, não apenas critique (haters – o pior é que eles acabam não sendo ouvidos).

Não fica aí só reclamando, dizendo que não vai funcionar, sem acrescentar nada. Tenha humildade em admitir que você também não sabe todas as respostas, assim como todos os seres humanos vivos e não vivos. E se for mesmo humilde, junte-se a quem está fazendo tentativas. Quem sabe vocês se complementam a mudam, pra valer, o mundo? A não ser que você realmente só queira reclamar, tudo bem também – quer dizer, mais ou menos. Isso está atrapalhando a mudança acontecer, é isso que você quer? Seja honesto com você mesmo: você quer atrapalhar o mundo em busca de equilíbrio, paz, harmonia? Se não, então não apenas critique. Se sim, parabéns, está fazendo um ótimo trabalho :)

Saiba também que nem todas as ideias velhas estão ERRADAS, ou não fazem mais sentido… Não, elas apenas estão sendo melhoradas. E quem conhece as ideias antigas pode muito bem colaborar com as ideias novas, pois muitas vezes o tempo de experiência ajuda e muito na construção de novas ideias.

Eu não quero resistir a nada mais. Compreendo o sentido de resistência política (manifestações são necessárias), não estou julgando errado esse termo. A resistência pode ser útil, como no chuveiro, que aquece a água.

Apenas quero deixar esse ponto de vista. Não quero mais ser vista como resistência, porque resistência atrapalha, não deixa fluir. E a vida é fluida, orgânica, merece ser vivida com leveza.

Meu convite é que olhemos mais os movimentos bons e solidários e vamos dar menos importância a notícias ruins, pois elas sempre vão existir. Dependendo o óculos que você usa, o mundo pode ser colorido ou preto e branco.

A tudo que resiste, persiste.

A sociedade é violenta e opressora?

Com todos! Do rico ao pobre. Todos nós sofremos com a sociedade com suas regras já ultrapassadas.

Só não acho que tudo está perdido ou tudo é pior hoje que ontem. Tudo é como é agora. Nós co-criamos essa realidade.

Sou quem PERSISTE que a COMPAIXÃO e HUMILDADE são fatores essenciais para evolução do Planeta, ou pelo menos do Brasil, hoje.

Agora eu pergunto: que atitudes deveríamos tomar para que nossa sociedade se transforme em uma sociedade mais justa e solidária? 

 

(comu+nidade = unidade comum = um, somos um).