Já sei que serei chamada de dramática
Mas hoje ouvi que mulher é igual a matemática:
tem muitos problemas, tem suas regras e ninguém entende
mas é claro que apenas brincar é o que se pretende

Estamos cansadas.
Cansadas de após toda piada dar o mesmo aviso:
cuidado quando se expressar a fim de arrancar riso.

Pra quem tudo isso tem graça?
Só pra quem não tem medo de no escuro andar na praça.
Todos possuem feridas emocionais
E mesmo como seres racionais,
tem vezes que não podemos evitar,
dá vontade de gritar:
ELEMENTOS EXTERNOS ACIONAM, SIM, NOSSOS GATILHOS!
É difícil amar ao próximo como uma mãe ama a todos os seus filhos?

Pra quê cutucamos tanto a ferida de terceiros
se nem ao menos nós estamos inteiros?
Pra que ainda geramos tanta dor,
se sabemos que a resposta é sempre o amor?
Palavras podem parecer nada, passar quase despercebidas
mas são elas que validam a violência e tornam as mulheres coibidas.

Dizem que hoje a opressão é inexistente,
sim, verdade – mas só pra quem insiste em ser prepotente.
Ou pra quem está inconsciente – basta despertar!
Não há razão para essa bobagem continuar.
Pra quem tá cego realmente não existe a opressão
não culpo, não julgo, apenas peço mais luz no coração
Saiba que ela está ali, qualquer uma pode sentir
basta observar esse meu desabafo que não me deixa mentir.

Pra quem não conhece a empatia,
pequenas doses diárias funcionam como homeopatia.
O que parece uma fala inofensiva
é apenas uma reprodução bem intensiva
De que as nossas características não são bem vindas na sociedade,
mas cansei de ficar quieta e agir com permissividade.

É isso que torna nossa luta importante,
tem coisas que precisamos ouvir que é bem irritante.
Mas nada me impede, nada mais me desaponta.
Apenas saiba que cada brincadeira conta,
pode acionar um botão interno de alguém e o pior acontecer,
você quer ser pivô de uma tragédia ao anoitecer?

Não reproduza o que incentiva a violência
Nem todas possuem forte resiliência.
Não que nós, mulheres, sejamos vítimas
somos fortes e nossas bandeiras são legítimas
queremos apenas cuidar de nossas feridas
sem que ofensas gratuitas sejam proferidas.

Nossas regras não devem ser motivos de comentários,
fico pensando que merda passa nesses imaginários.
Não somos nós mulheres apenas que temos problemas,
vocês que não admitem seus dilemas.

E se alguém é incapaz de compreender as necessidades do feminino,
fica claro que ainda é apenas um carente menino.

Num mundo ideal, na utopia igualitária

eu não precisaria estar sendo tão partidária
Mas a violência é maior do que se imagina,
há o desprezo histórico pelo ser humano de vagina
Inconscientemente querem ainda que eu fique calada,
mas não percebem que uma simples piada pode ser uma punhalada.
Para alguém que ainda não trabalhou essa limitação,
pode significar uma grande humilhação.
E mulher alguma é obrigada a tudo transcender,
respeitar é preciso mesmo sem ainda entender.

Fomos ensinadas que não devemos retrucar
E que as brincadeiras precisamos aceitar,
pois quem responde assim, muito causa
e querem mulheres quietas até depois na menopausa.
Parece uma grande bobagem,
mas isso é só um alerta, de passagem

Existem coisas que não dá pra explicar
o desgosto é tanto que dá vontade de chorar.
Feliz a mulher que entende e busca curar sua dor,
Pois depender da consciência do povo é assustador.
Piadas, para o alvo, sem graça,
mas podem gerar muita desgraça.

Mulheres e homens juntos nessa luta,
a união faz a força e isso tenho certeza absoluta
Isso não é uma crítica para ninguém em especial,
apenas expressando como uma mulher se sente numa sociedade patriarcal.

Estou cansada de tentar explicar,
sempre fica a sensação de que só quero reclamar
O outro ser humano também tem emoções
mas talvez seu discernimento esteja prejudicado por suas convicções

O amor pelo outro ser deve ser pleno, incondicional,
pra viver assim numa sociedade muito mais funcional.
Se pra você um comentário é engraçado,
pra uma mulher é apenas seu lugar na sociedade sendo ameaçado.

Você quer mesmo ser quem causa tamanho sofrimento?
Então reflita sobre piadas opressoras a todo momento.
Sábia é a mulher que de si consegue rir,
mas injusto é aquele que o outro prefere, deliberadamente, ferir.

A luta continua,
pois infelizmente essa é a verdade nua e crua.
Nesse mundo de tanta dor e ego,
é bom deixar claro que do feminismo não arrego.