Dinheiro não é mau, mau é o ego humano não treinado.
O dinheiro é amoral, o papel não pega numa arma e atira.
Quem é mau é o Humano que possui o montante,
ou de quem, por sentir falta dele, faz o mal.
No mundo da dualidade, mau não é o número na conta,
Mas quem tira do outro, quem humilha, quem oprime,
quem julga, quem mata, quem discrimina.
Quem tem inveja do que o outro não tem,
quem quer ir pelo caminho de ferir a liberdade do outro.
O sistema é formado por um coletivo de Humanos,
Ele não tem culpa de ser mau, quando houver mais humanos bons,
o sistema será bom.
O ego humano pode ser cruel, e existem muitos que ainda são
Pois estão inconscientes.

Dinheiro é apenas um fato que devemos aceitar pra poder evoluir,
não precisamos colocar a culpa nele para justificar nossos atos.
O dinheiro não vem apenas pra quem é mau,
e não transforma ninguém em ser das trevas
Essa pode ser a realidade manifestada para alguém,
mas não é a verdade absoluta.

O dinheiro pode e deve circular entre todos nós.
Se ele estiver na mão de pessoas boas, melhor ainda!
Ganha o mundo, ganha todos!
Estamos numa Nova Era, em que os egos estão se controlando.
Você percebe? Cada vez mais?
Olhe ao seu redor, se você for alguém desperto:
vai encontrar seus iguais.

Podemos, mas não precisamos ter medo do sistema,
Medo nos traz preocupações desnecessárias,
viver com medo nos faz sentir estresse o tempo todo.
Observar apenas o medo real,
e identificar qual medo é uma projeção, curar na raiz.
Se a gente tem medo, é preciso se fortalecer
Se há ameaça real iminente, que seja tomada precauções.
Não estamos mais na selva, mas atenção plena nunca é demais
E se a gente atrai o que a gente vibra,
medo atrai mais situações de medo.
E desapegar, não julgar, praticar a compaixão,
acreditar em Algo Além,
nos deixe com menos medo:
a gente se conecta com o amor.
Apenas lavemos em consideração que todo medo
pode ser apenas um bloqueio mental.

Eu sou intensa: ou eu amo, ou eu odeio.
Não existe esse lance de ignorar.
Como vou ignorar algo que eu já odiei?
Pra mim, não funciona assim.
Não consigo apenas tolerar, eu tenho que passar a amar.
E estou errada?
Se eu tenho uma programação densa no meu subconsciente,
qual o problema de eu instalar o oposto positivo dela?
E se eu quiser amar o sistema, o dinheiro?
O amor é incondicional, ou não?
O meu, acredito que é.
É só uma programação limitante,
não mudou minha essência
– me sinto ainda mais livre pra fazer o bem.

Não precisamos levar nossa vida com tanto inimigo,
temendo tudo e a todos,
nem estar em uma constante guerra interior.
Podemos aprender as lições e evoluir.
Sim, devemos ficar alerta aos predadores
– o sistema, inclusive,
se defender e atacar quando, e se, preciso.
Em alerta como um animal que somos,
mas internamente em paz como seres conscientes.
Vamos nos sentir mais leves se cada fato do passado
seja guardado numa gaveta certa.

Mas se o passado e conceitos nos despertam sentimentos densos,
ou nos colocam na posição de vítima,
vivemos sem a leveza necessária para o fluir da vida.
Pode ser o momento de rever tudo isso.
Não que sentimentos densos não sejam úteis,
eles são: para nos mostrar o que está errado.
E só, pra mim.
A palavra de ordem é resolver tudo internamente.
Não jogar pra baixo do tapete mental.
Apenas resolver tudo que nos incomoda.

E é isso.
O dinheiro não torna ninguém mau,
ele é apenas a ferramenta pra expandir o que o ser humano já é.
Conheça quem é você de verdade,
Quem sabe quem é em essência, não tem medo de se perder
Valorize-se, ame-se. Ame o outro como você ama a si.
Tenha compaixão dos processos alheios, pois você também erra.
Mesmo que, no seu julgamento, seja um erro menor.

Você também merece ter tudo que sempre quis,
inclusive se você gostaria de ter bem pouco
– pode ser um pouco mais, tudo bem!
Valorize seu trabalho, sua arte, suas habilidades
Valorize tudo que aprendeu na sua jornada.
Tire suas crenças limitantes sobre dinheiro
continue fazendo o bem, oferecendo seu amor e cobre pelo seu trabalho
– um preço justo para todos.
Não precisa excluir quem não tem, apenas não tenha medo de cobrar,
pois quem também está na mesma onda de prosperidade, vai ter dinheiro para pagar.
Não projete seus sentimentos ruins nos outros,
se alguém cobra, pague se puder, o que puder.
E se você ainda não tem, comece oferecendo.
É uma questão de energia:
Como você pretende receber,
se você não está disposto a oferecer?