Eu posso qualquer coisa
Eu sou qualquer coisa
Eu sou ritmo e sou poesia
Sou poesia há tanto tempo
Que nem lembro
Passei por aqui
Por fora
Por aí
Por dentro
Me perdi e me encontrei
Várias vezes
num dia
E fui ritmo quando te encontrei
Quando me ensinou a dançar
E pediu pra eu olhar nos seus olhos
Eu buscava isso. E encontrei.
Por causa de medos, não dançamos!
Por conta de instintos, não dançamos!
Parei no tempo, parei no ritmo
Os medos se foram, dançamos!