Tudo começou porque ele disse: “acho bom você…” qualquer coisa. E eu quis apontar que discurso de um homem para uma mulher “acho bom você fazer…” era bem escroto para mim. E aí a coisa se agrava, porque “as pessoas estão tão loucas que não conseguem fazer nenhum tipo de reflexão”
.
Mas e aí, será que eu não posso tá errada e realmente ter errado com ele?
Não sou uma feminista perfeita, mas sou a melhor que posso ser.

Recebo muita crítica de macho #chateado com meus posts, mas nem percebem que estão manifestando seu machismo, porque eu estou sempre fazendo um trabalho consciente e fundamentado, e eles não ligam, só querem estar certos – quando atinge o ego deles, eles não gostam, são duros comigo.

Os machistas estão tão loucos que não conseguem fazer nenhum tipo de reflexão sobre o que uma feminista diz.
Mas…. Porque enquanto eu tô falando sobre feminismo num ponto de algo que eles se “beneficiam” gostam (liberdade sexual, por exemplo), mas quando vou falar da atitude machista ou da reprodução do machismo deles, eles não gostam?

Visto que recebo muito Feedback do público, notei um padrão. A maioria das pessoas que reclamam da forma que eu luto, são as pessoas que eu acho que deveriam avaliar o que eu digo. São pessoas inconscientemente machistas, e são elas as que têm grandes problemas com meus posts…

Já pessoas mais maduras, conscientes, empáticas… respeitosas… pessoas que se assumem ser potenciais machistas e, portanto, aceitam com coração aberto a expressão da feminista… essas pessoas costumam debater de forma coerente e chegarmos a expansão da mente.
Meus amigos e amigas de verdade, que estão preocupades com minha saúde emocional não dizem o que eu deveria fazer, mas me questionam se estou fazendo da melhor forma e me ajudam, sem stress, a melhorar meu desempenho.

Se a forma que expresso não agrada todo mundo, posso melhorar, mas a pessoa também pode aceitar como uma crítica construtiva. Se ela se incomoda, ela pode fazer o mesmo processo que eu, pra também melhorar. O problema é que o machismo é egoísmo e negar o egoísmo é uma das formas de se defender, defender seu próprio ego. Egoísmo. Pra sair do egoísmo, precisamos ouvir os outros. Das vezes que eu digo para um homem que ele está me faltando com respeito, alguns me dizem que eu também faltei com respeito. 100% das vezes pergunto onde eu errei, e 100% eu fui mal educada depois da falta de respeito e eles dizem “deixa pra lá”, “esquece”, eles não conseguem apontar meu erro pois normalmente eu sou mal educada só depois de ter falado com carinho e educação algumas vezes.
E, claro, pra tentar reverter a situação, eles me acusam de ter sido “grossa” antes. É unânime, o discurso sempre beira isso: “Quer respeito, comece respeitando, não gostei da forma que falou comigo” (só falei assim porque você deu brecha, filho)

Grosseria é dizer que ele tá errado, mesmo com muito amor.
“Querido, você faltou com respeito comigo”
“Não faltei não, sua idiota”

Sério, eu posso mandar prints pra provar, mas não vou. Isso quando não acontece sem provas materiais e o cara manipula a situação pra te fazer ter “entendido errado”, “não foi isso que eu falei ” e, claro, você está louca.

Egoísmo é defesa do ego, e se há defensa, há ataque, mas o ataque está em uma MULHER refutar uma ideia que pra ela é errada. E a defesa, do machista, é ignorante, é violenta mesmo sem tocar num fio de cabelo.

Das micro agressões as tragédias, o machismo é violento.

Se há ataque, é porque algo desparou internamente. Um gatilho emocional, é preciso trabalhar isso, é preciso curar profundamente, não apenas na superfície.

Algo internamente apitou, deve ser observado, analisado e curado.
Sem culpar a pessoa que apertou o gatilho (uma mulher apontando o machismo, por exemplo), pensar:
“Estou com raiva? Então que parte de mim concorda que sou machista, pra eu estar com tanta raiva?”
Autoconhecimento.

Quero dizer, a feminista sempre pode melhorar, isso não significa que o homem acusado de machista tá isento da sua responsabilidade e ele deve se perceber machista, sim. O mimimi feminista só existe por conta do machismo, que é o maior dos mimimis. Tirou uma feminista do sério? continua sustentando isso? é o próprio machismo! O ciclo sem fim. Você tá enlouquecendo a mulher, você tá oprimindo. Isso é tortura psicológica. Eu corto, saio fora. Bloqueio. Eu prefiro dialogar, no entanto, para que o homem compreenda meu ponto de vista. Mas tenho limites. Eu sinto muito pelas manas que não conseguem sair, pois eu mesma até pouco tempo tava presa.

Eu tô com a consciência leve.

Eu faço meu melhor, mesmo que não tenha sido suficiente para os machistas que eu andei bloqueando e tirando do meu convívio.

Durmo leve… todo dia faço meu melhor. “preciso fazer um bom trabalho”, meu foco é esse. Eu erro, sim, e sempre tô tentando melhorar. E sempre melhoro. Não tem nem comparação entre eu há 2 anos ou 15 anos e hoje – sou livre, cada vez mais.

O feminismo me empodera a cada dia, esse movimento e aprendizado me traz mais poder pessoal, e adquiro mais desafios a medida que evoluo. Passo várias fases, vocês machistas, são os “chefões” do game da minha vida, aqueles com quem acabo usando minhas habilidades e sabedoria adquirida na vida.

E os mais troxas dos machistas são os que dizem me amar, ou gostar de mim. Parece que esses me batem de propósito pra conseguir minha energia quando não quero oferecer (sim, assédio energético, violência energética) e, no momento de fraqueza, às vezes, conseguem me derrubar. Não sou de ferro. Que triste é, sim, mas tenho me abalado cada vez menos com isso.

Eu resisto pra existir.

Pra mim tem sido cada vez mais ou soma, ou some.

Machista tem medo disso. De mulher empoderada. Segura.

Afastem-se, machistas. Vão se foder para lá, pra longe.

Seremos cada vez mais lindas, gostosas, felizes, decididas, independentes… e vocês terão que lidar.
Terão que descontruir, tendo empatia e respeito, observando seu EGOISMO….

Minas e monas, ocupem seu lugar de direito… onde você quiser!

http://www.gabi.blog.br/2017/08/feminista-tambem-erra/