Adeus…
E obrigada por nada…
Por nada, não – por tudo
Porque seu gozo até que me deu prazer
E o amor da minha vida no meu ventre
Mesmo com um coração partido,
Uma ilusão,
um doce sabor que amargurou meu coração.
Tá bom, de volta ao amor pleno

tenho um anjo comigo agora
Nós nunca fomos perfeitos
Não era a intenção
Evoluir juntos, era esse o objetivo
Mas sempre iludida
Grata por tudo.
Por realizar um desejo meu já de anos
Sem o ônus
da relação entre homem e mulher
Cansativo, deprimente
Depreciativo.
Tentei de tudo, tudo mesmo
Aproximação e valorização
A morte de um personagem
Da minha ficção.
Sem drama, sem rancor,
O vínculo com ele você que vai criar
Se quiser
Se puder
Se não fizer falta pra você.
Tentei, fui firmeza, sem cobrança
Sem exposição
Sem pressão.
Com empatia e me sentindo até culpada
Mas falta reciprocidade
Não quero mais
Adeus
E obrigada por nada.