Vou contar pra vcs uma história da minha vida

Em 2016 me relacionei com um mano que me humilhou muito no final porém que eu gostei bastante (ngm vai saber quem eh, pq o que eu mais fiz na vida foi isso).

Ele não queria me humilhar, mas estava mto condicionado a ser machista. Qdo conheceu uma mina que provavelmente é a esposa dele agora ao invés de só seguir a vida com ela, resolveu me comparar com ela e me humilhar quando foi “terminar” comigo. Eu já tinha a visão de que rivalidade feminina é mecanismo do machismo mas as palavras e atitude dele me feriram mto.

Ha 1 semana reencontrei ele num role e ele teve a (pra mim) cara de pau de vir estander a mão pra me cumprimentar e eu – desacreditada que era ele – dei a mão. Depois me toquei que era ele quando ouvi o vulgo dele. Desbloqueei ele do Facebook e mandei msg para que não falasse mais cmg, não estendesse a mão pra mim se não ia levar patada que era pra gente fingir que não se conhecia. Me respondeu dizendo que ele tinha mudado mto desde aquela época e que ele acredita no amor e no perdão e que ele …***se perdoa***.. Que se eu quero assim, fingir que não conhece ele ok, que eu podia dar patada nele, humilhar ele, mas que ele não vai fingir que não me conhece pq me conhece.

Infelizmente quem bate consegue esquecer e **se perdoar** com mais facilidade do que quem se sente humilhade e feride, pois carregamos o peso do sofrimento que aquilo gerou..

Que bom que ele se perdoa pelas merdas que ele fez. Pelas merdas que ele me disse. Que ele seja feliz. De verdade.

Que bom que eu tbm sei perdoar, seguir em frente. Que bom que sou amor, que sei praticar o amor. Eu de verdade espero que ele seja feliz com a família dele. Que essa mulher esteja REALMENTE em boa companhia. Não era por acaso q eu tinha gostado dele, ele realmente é uma pessoa especial. Não é difícil pra mim desejar que ele seja feliz.

Mas….. infelizmente a dor causada por palavras e posicionamentos pode ser muito profunda.

Algumas feridas não cicatrizam, palavras podem marcar a vida toda. Estou marcada ainda. Reve-lo me fez rever uma ferida ainda aberta. Que bom que tornar consciente uma dor que eu tinha escondida pode me levar a cura agora. Qm sabe…

Mais do que ódio, esse reencontro me fez sentir compaixão. Aprender sobre ter compaixão por mim, que mesmo tão ferida por relacionamentos heterossexuais, quero praticar o bem. Desejar o bem.

Perceber que estamos todes ferides e precisamos ter mais compaixão uns com os outros também. Precisamos começar a enxergar os outros de verdade com empatia. Se ele se perdoa eu que não vou guardar mágoa dele.

Mas fica o aprendizado…
Temos que tomar muito cuidado, nós precisamos ser mto sensíveis e praticar verdadeiramente o amor para que não machuquemos quem amamos ainda mais.

Na ocasião que fui ferida, foi porque além de ter sido “trocada”, ele ainda fez questão de me humilhar com palavras. Deixou bem claro pq ele tava me trocando ao me comparar com a outra. Como se eu ser eu não fosse suficiente para merecer amor. Como se eu tivesse que mudar pra ser amada.

Depois de tudo isso…

Acho audácia vir apertar minha mão depois de me humilhar assim como de nada tivesse acontecido. Ele disse que ele foi apertar minha mão pq acredita no perdão e que se perdoa, que não vai fingir que não me conhece pq não é fingido kkkkkk

Eu sou fingida, então kkkkk

Mesmo internamente praticando a compaixão e desejando o bem dele eu também não sou trouxa. Sai pra lá, não vem surfar no meu hype agora.

Vou fingir SIM que não te conheço e se vier falar cmg vai ficar falando sozinho pq eu não sou obrigada reviver dor nenhuma de quem me machucou.

Que seja feliz longe de mim.
Vamos cuidar uns do outro agora, quem está do nosso lado agora.

Edit: minha memória de pegou. Não foi ele que foi terminar cmg. Ele me procurava pra falar dele, de como era bom como mc. Aí eu mandei A resistência das minas e ele começou a me tratar mal, negar o machismo nele – sendo que ele tava sendo e muito.