Natureza I (01/04)
Nesse momento, tentar não entrar na frequência do medo, do ego. Mais do que nunca, ter empatia e nos solidarizar com outras pessoas, mesmo as que não conhecemos. Entender que todos somos conectados, assim como a natureza. Tudo se conecta de alguma forma: o mar com a lua; as sementes com a terra; o esperma com o óvulo. A natureza eh uma grande dança, e nós somos a natureza.
Teve (02/04)
OPORTUNIDADE de revolucionar a consciência, teve.
ACESSO a informação, sim, à beça
CHANCE de repensar suas atitudes, inúmeras.
ALGUÉM pra avisar que tava metendo o loco, mais de um.
MOTIVAÇÃO pra deixar de ser babaca, sim, po, é recompensador.
EGO ENORME e FERIDO pra não conseguir se abrir pro amor, infelizmente.
Natureza II (03/04)
Uma folha cai de uma árvore
Dois jovens estão ali embaixo, juntes
Ume é romance puro,
e u outre acredita que encontrou a alma gêmea
Elus se abraçam
Um delus pega a chave
desenha suas inicias naquele tronco
Lá ficará, marcado
Não só essa marca,
mas toda história da árvore estará naquela casca
Tudo que foi vivido por ela.
Esses jovens ainda ficaram juntes
mas algum tempo depois se separaram
sofreram muito.
Também tiveram marcas em seus corpos,
tanto os corpos físicos, como os sutis
corpos mental, espiritual…
os sutis, que não podemos ver.
Imagina então,
se a árvore só fosse ser a sua melhor versão
no dia que as marcas desaparecessem?
Não dá. É impossível.
Ela só se tornou o que se tornou,
por tudo que passou.
Somos Natureza,
muitos de nós esquecemos disso.
E se a árvore só fosse dar flores, frutos, crescer,
quando as marcas sumissem?
Tem coisas que não poderemos curar,
não vai sair de nós,
está marcado e
é mais permanente que tatuagem…
Podemos e devemos ir em busca de cura
de cura física, mental, espiritual…
Em busca de qualidade de vida.
Mas tem marca que é marca pra sempre…
Às vezes pode doer, como uma sequela que dói.
Às vezes pode virar uma cicatriz.
Às vezes pode até sumir depois de muito tempo.
Mas é nossa marca.
Vamos em frente com marcas mesmo.