Nós por nós, mulheres

Nós por nós, mulheres

O argumento é: eu não fui oprimida! Não fui oprimida no ponto de vista machista, e não me deixo ser oprimida porque sou feminista e empoderada. Mas minha classe, “mulheres”, é oprimida constantemente. Inclusive nos nossos próprios lares. Somos oprimidas quando, por exemplo, dizem, à mesa, que “mulher não gosta de piada que precisa pensar”, nos inferiorizando e colocando em xeque nossa capacidade intelectual. Quando dizem que “a fulana é uma mulher casada” quando ela vai sair, reproduzindo o padrão de mulher dona de casa, perpetuando que o papel da mulher é do lar, questionando se ela deveria sair. Somos oprimidas quando, mesmo quem nos ama, não faz um esforço consciente para compreender nossos problemas, das micro-agressões à tragédias; quando dizem, sobre assédio, que “não precisa se incomodar, basta ignorar ou mandar tomar no c*” (como se eu nunca tivesse tentado isso antes – e mesmo assim me sinto incomodada). E incomoda muito. A gente se sente oprimida quando um homem quer falar mais sobre feminismo do que ouvir sobre. Quando um homem quer falar sobre “masculinismo”, quando questionam a necessidade da nossa luta. Incomoda. E muito. Diariamente o machismo nos ataca. E é triste, mesmo quando a gente tá firme. É triste pela falta de empatia, um atributo tão importante pra convivência entre seres humanos. Incomoda pela deficiência da empatia cognitiva, que é um atributo que se aprende, porém com força de vontade, fazer um esforço consciente. E por mais amor que haja, se não tem empatia, se não tem compaixão, não é suficiente, porque fere. Porque machuca. E quem ama, teoricamente não quer machucar o outro. E a gente...
Ângelo chegou (12/04/18)

Ângelo chegou (12/04/18)

A data provável do parto era dia primeiro de maio, quando minha gravidez completaria 40 semanas. Por alguma razão, Ângelo Gabriel veio quase 20 dias antes, embora já não fosse prematuro, por estar com 37 semanas e 2 dias. Não veio de parto normal, como eu queria, mas veio completamente saudável – era só isso que eu desejada do fundo do meu coração. Há 19 dias eu tive meu bebê. Minha vida mudou. O primeiro clichê real: nasci de novo. Últimos dias de gravidez Dia 07 de abril aconteceu o chá-rau, em Santos, em que tive a última experiência fora de uma “internação” (em fases: casa, hospital, maternidade, casa, hospital, casa), com amigos. Comi muito, conversei muito, fiquei muito de pé. Cansei bastante. Dormi em Santos, domingo voltei pra minha casa, exausta, porém muito feliz. Domingo, pouco antes das 4h da manhã, comecei a sentir fortes dores no estômago, como as dores que sentia no carnaval – diagnóstico na ocasião: pedras na vesícula. A dor aumentou bruscamente e vomitei. Dor diminuiu. Partiu pronto socorro. Liguei pra família e pro meu médico. 4h30 da manhã estava chegando no pronto atendimento. Medicada, exames feitos: tudo bem com o Ângelo, ele não estava com sinais que iria nascer. Tudo bem comigo, minha vesícula não estava inflamada. Fui liberada, direto pra casa dos meus pais. Segunda feira em repouso, ainda muito debilitada. Consulta do pré natal, mal sabia que seria a última. Terça feira, ainda dores e enjoos, mais uma vez pro pronto socorro, sem nenhuma alteração nos exames da vesícula. Quarta feira, seguiam os sintomas – dores e enjoos. Meu médico preferiu me internar pra tentar resolver...
Lembranças da Gravidez do Ângelo

Lembranças da Gravidez do Ângelo

Me lembro do dia que eu descobri que estava grávida. Foi dia 26 de agosto de 2017. Naquela semana, peguei uma doação de roupa de bebê em um terreiro de Umbanda que gosto de ir. A roupa era pra uma moça que ia ganhar neném e não tinha nada. Na gira, em consulta, se não me engano, passei com uma criança. A Pombagira estava lá também, me pediu um abraço, me deu um conselho e fui embora. Eu já tava grávida, apenas não sabia. Soube no sábado, fim de tarde. Falava com as amigas pelo whats: “Vou fazer o exame de farmácia” “Deu positivo” “Estou grávida” E o medo, cara? Falei com algumas manas que já eram mães e isso me tranquilizou. Fui pro pronto socorro fazer exame. Mesmo sendo de urina, era mais certeza. Positivo. Já no caminho liguei pro meu irmão gêmeo e minha cunhada: põe no viva-voz aí, Rafa, quero contar uma coisa para vocês dois juntos: estou grávida. Meu gato, Viky, tinha sumido. De manhã ele já não tava mais em casa, fiquei preocupada com ele. Mas à tarde, quando me veio a consciência de que talvez eu estivesse mesmo grávida, acabei esquecendo dele. Quando cheguei do PS, com a certeza que Ângelo estava comigo, fui falando com ele desde a rua: “será que o Viky voltou? Será que ele tá em casa de novo?”. Não estava. Sentei no sofá, respirei. Ele começou a miar na porta de casa, pra entrar. Sapequinha, saiu pra dar um role e voltou pela porta da frente. Dormimos agora com a novidade de que tinha um neném se formando na barriga....
Estamos quase lá!

Estamos quase lá!

Oi, meu amor!!! Você está quase chegando! Entre 2 a, no máximo, 5 semanas você estará aqui nesse lado do mundo. Por favor, não tenha medo. Sabemos que você, assim como outras crianças da sua geração, está vindo pra iluminar esse Planeta. Nós te protegeremos e incentivaremos a cumprir sua missão da melhor forma possível. Sem pressão, hehe. Sua chegada será muito especial. É um amor genuíno envolvido. Não consigo pensar em outra coisa. Seu pai está ansioso pra sua chegada. Eu, sua avó e a tia Aline estamos deixando tudo pronto; seus tios e tias estão fazendo até aposta pra que dia você chega – apostas baseadas nas mudanças de Lua e tudo. Tá todo mundo felizão! Nessa semana gravamos um clipe (da minha música Sob Minha Pele) pra guardamos de recordação da nossa gestação. Espero que você goste, você foi a estrela mais brilhante das cenas todas. Você é muito privilegiado: tem dois berços (um aqui e um na casa da vovó e do vovô – esse a vovó já tinha desde muito tempo, à espera do próximo neto), um carrinho com bebê conforto (pra passeios de carro), uma banheira, um Wrap Sling pra andar grudadinho em nós, fraldas ecológicas (porque, fala sério, um bebê usa de 5 a 6 mil fraldas descartáveis e elas demoram 450 anos pra se decompor na natureza) e roupinhas estilosas e confortáveis. Nosso quarto está decorado com notas musicais e seu nome em PVC brilhante. Eu mesma fiz algumas com base nas que a tia Lucia tinha feito pra decoração do seu chá – tudo lindo. Vamos dividir o quarto, eu...
Adeus

Adeus

Adeus… E obrigada por nada… Por nada, não – por tudo Porque seu gozo até que me deu prazer E o amor da minha vida no meu ventre Mesmo com um coração partido, Uma ilusão, um doce sabor que amargurou meu coração. Tá bom, de volta ao amor pleno tenho um anjo comigo agora Nós nunca fomos perfeitos Não era a intenção Evoluir juntos, era esse o objetivo Mas sempre iludida Grata por tudo. Por realizar um desejo meu já de anos Sem o ônus da relação entre homem e mulher Cansativo, deprimente Depreciativo. Tentei de tudo, tudo mesmo Aproximação e valorização A morte de um personagem Da minha ficção. Sem drama, sem rancor, O vínculo com ele você que vai criar Se quiser Se puder Se não fizer falta pra você. Tentei, fui firmeza, sem cobrança Sem exposição Sem pressão. Com empatia e me sentindo até culpada Mas falta reciprocidade Não quero mais Adeus E obrigada por...
Página 3 de 8512345...102030...Última »