1 post por dia

1 post por dia

Natureza I (01/04) Nesse momento, tentar não entrar na frequência do medo, do ego. Mais do que nunca, ter empatia e nos solidarizar com outras pessoas, mesmo as que não conhecemos. Entender que todos somos conectados, assim como a natureza. Tudo se conecta de alguma forma: o mar com a lua; as sementes com a terra; o esperma com o óvulo. A natureza eh uma grande dança, e nós somos a natureza. Teve (02/04) OPORTUNIDADE de revolucionar a consciência, teve. ACESSO a informação, sim, à beça CHANCE de repensar suas atitudes, inúmeras. ALGUÉM pra avisar que tava metendo o loco, mais de um. MOTIVAÇÃO pra deixar de ser babaca, sim, po, é recompensador. EGO ENORME e FERIDO pra não conseguir se abrir pro amor, infelizmente. Natureza II (03/04) Uma folha cai de uma árvore Dois jovens estão ali embaixo, juntes Ume é romance puro, e u outre acredita que encontrou a alma gêmea Elus se abraçam Um delus pega a chave desenha suas inicias naquele tronco Lá ficará, marcado Não só essa marca, mas toda história da árvore estará naquela casca Tudo que foi vivido por ela. Esses jovens ainda ficaram juntes mas algum tempo depois se separaram sofreram muito. Também tiveram marcas em seus corpos, tanto os corpos físicos, como os sutis corpos mental, espiritual… os sutis, que não podemos ver. Imagina então, se a árvore só fosse ser a sua melhor versão no dia que as marcas desaparecessem? Não dá. É impossível. Ela só se tornou o que se tornou, por tudo que passou. Somos Natureza, muitos de nós esquecemos disso. E se a árvore só fosse...
Como o machismo nos afeta

Como o machismo nos afeta

Em meio a pandemia do novo corona vírus, em quarentena, andei pensando sobre como o machismo me afeta e qual a minha função no processo de expansão de consciência – minha e do mundo – relacionado a esse assunto. É inevitável, quando em processo de auto-cura emocional, algumas feridas emergirem para a consciência. Ultimamente, em isolamento social, além das minhas obrigações de dona de casa e mãe, estou usando bastante o meu tempo pra me sentir bem mental e espiritualmente. Nesse contexto de muita auto reflexão, juntando com violência recentes que sofri e ainda com o documentário O Silêncio dos Homens que assisti esses dias, tive muitas oportunidades de reflexão pra vir aqui escrever sobre isso. Assim como a maioria das minhas amigas, também feministas e/ou mulheristas, vivo intensamente o machismo no meu dia a dia. Costumamos dizer que uma mulher que não sente o machismo, ou ela é muito distraída ou muito privilegiada que até o próprio machismo lhe dá algum privilégio, embora a oprima de alguma forma. Ou seja, o machismo tá aí pra todo mundo se machucar com ele, inclusive os próprios homens. Mas por que falar sobre o tema é tão relevante? Onde está esse machismo que tanto falo e porque eu simplesmente não o ignoro e vivo minha vida em paz sem ficar me importando com isso? O machismo está na cultura da nossa sociedade e, sendo assim, os homens se sentem (mesmo que sem querer) superiores a mulheres, as diminuindo e as usando como meros objetos em suas vidas. Além disso, as próprias mulheres com frequência diminuem outras mulheres (e a si mesmas)...
Sobre feridas

Sobre feridas

Vou contar pra vcs uma história da minha vida Em 2016 me relacionei com um mano que me humilhou muito no final porém que eu gostei bastante (ngm vai saber quem eh, pq o que eu mais fiz na vida foi isso). Ele não queria me humilhar, mas estava mto condicionado a ser machista. Qdo conheceu uma mina que provavelmente é a esposa dele agora ao invés de só seguir a vida com ela, resolveu me comparar com ela e me humilhar quando foi “terminar” comigo. Eu já tinha a visão de que rivalidade feminina é mecanismo do machismo mas as palavras e atitude dele me feriram mto. Ha 1 semana reencontrei ele num role e ele teve a (pra mim) cara de pau de vir estander a mão pra me cumprimentar e eu – desacreditada que era ele – dei a mão. Depois me toquei que era ele quando ouvi o vulgo dele. Desbloqueei ele do Facebook e mandei msg para que não falasse mais cmg, não estendesse a mão pra mim se não ia levar patada que era pra gente fingir que não se conhecia. Me respondeu dizendo que ele tinha mudado mto desde aquela época e que ele acredita no amor e no perdão e que ele …***se perdoa***.. Que se eu quero assim, fingir que não conhece ele ok, que eu podia dar patada nele, humilhar ele, mas que ele não vai fingir que não me conhece pq me conhece. Infelizmente quem bate consegue esquecer e **se perdoar** com mais facilidade do que quem se sente humilhade e feride, pois carregamos o peso do sofrimento...
Meus olhos transbordam minha alma

Meus olhos transbordam minha alma

Meus olhos transbordam minha alma Tenho amor infinito, pois Encontrei com Deus uma vez E nunca mais me separei. Para alguns a Terra é o inferno Pra ninguém o Paraíso. Pra mim, a dualidade. Emoções e sentimentos duais Às vezes paraíso, às vezes inferno Melancolia e alegria Em equilíbrio, a paz é pano de fundo Choro de felicidade e tristeza Respiro e vou pra casa, Meu Ser. Meu lar. Me rodeio de quem me ama De quem sabe amar Me rodeio de quem me ensina De quem vibra na minha frequência Só lamento os infortúnios E por lidar com consciências diferentes Reconheço, com humildade: Sou AMADORA. Sou ERRANTE. Sou APRENDIZ. Mas também valorizo minha força Minhas habilidades As etapas percorridas. Com lágrimas, Meus olhos transbordam minha alma. Não em vão. Nunca em vão. Passo por passa Um dia após o outro Foco no amor, No respeito Na...
Loucura matriz

Loucura matriz

Dizem ser loucura A gente nada muda Mas a mente tudo controla Você precisa controlar Se ligar A realidade pode te assustar Se você não tá preparada Pra se libertar Vai lutar pra perpetuar Se liberte Vai doer Vai sofrer Dores físicas Emocionais Perigos Reais e virtuais Tu vive onde sua mente está, Respirando ou não o mesmo ar Você é forte Pode lutar Se vir um agente Lute sem temer a morte Eles não são tão forte Não tanto assim, Confie em mim. Sair da matriz Como se diz É enamorar-se Ninguém pode dizer Você só vai saber Por isso Não pense que é Saiba que é Liberte sua mente Deixe ir suas descrenças Medos e dúvidas Pare de tentar acertar E acerte Finalmente, liberte-se!  ...
Nós por nós, mulheres

Nós por nós, mulheres

O argumento é: eu não fui oprimida! Não fui oprimida no ponto de vista machista, e não me deixo ser oprimida porque sou feminista e empoderada. Mas minha classe, “mulheres”, é oprimida constantemente. Inclusive nos nossos próprios lares. Somos oprimidas quando, por exemplo, dizem, à mesa, que “mulher não gosta de piada que precisa pensar”, nos inferiorizando e colocando em xeque nossa capacidade intelectual. Quando dizem que “a fulana é uma mulher casada” quando ela vai sair, reproduzindo o padrão de mulher dona de casa, perpetuando que o papel da mulher é do lar, questionando se ela deveria sair. Somos oprimidas quando, mesmo quem nos ama, não faz um esforço consciente para compreender nossos problemas, das micro-agressões à tragédias; quando dizem, sobre assédio, que “não precisa se incomodar, basta ignorar ou mandar tomar no c*” (como se eu nunca tivesse tentado isso antes – e mesmo assim me sinto incomodada). E incomoda muito. A gente se sente oprimida quando um homem quer falar mais sobre feminismo do que ouvir sobre. Quando um homem quer falar sobre “masculinismo”, quando questionam a necessidade da nossa luta. Incomoda. E muito. Diariamente o machismo nos ataca. E é triste, mesmo quando a gente tá firme. É triste pela falta de empatia, um atributo tão importante pra convivência entre seres humanos. Incomoda pela deficiência da empatia cognitiva, que é um atributo que se aprende, porém com força de vontade, fazer um esforço consciente. E por mais amor que haja, se não tem empatia, se não tem compaixão, não é suficiente, porque fere. Porque machuca. E quem ama, teoricamente não quer machucar o outro. E a gente...
Página 1 de 1712345...10...Última »