Nave de Odessa

Nave de Odessa

Todos seres de luz fazendo seu trabalho, Juntos tornam-se um, como cartas do baralho Escutaram o chamado e aos poucos foram recrutados Todos na mesma estação para serem curados. Não dá pra julgar a brisa de ninguém Porque cada um é um universo muito além Há anos dizia que não iria, Que essa onda eu não aguentaria. Mas eu já estava preparada, Resolvi, então, encarar essa jornada. Odessa, começou! O brilho dos olhos abraçou. A abertura de caminhos Vem regada de pulinhos. Como uma boa buscadora, Dessa grande celebração é merecedora. Odessa – de odisséia e quer dizer grande jornada, Mais uma iniciação em sua caminhada. Odessa – de verde e laranja sua aura emana Mais uma iniciação em sua experiência humana. Minha sensação era de estar em casa Embora eu tenha a certeza que aquele sítio criou asa. Em minha defesa já aviso de ante mão Lá dentro é cada um em seu mundo de ilusão. Meu mundo foi leve, do tipo que quis meditar no meio da pista Pra me equalizar com a galera toda que também se joga e se arrisca Lá na nave entrei na fé, Sabia que haveria energia para ficar de pé. Fui com dois duendes de confiança, Estava certa que só coisa boa ficaria na lembrança. Custei entender que ali era um campo diferente, Mas tudo estava programado, as energias se modificaram de repente De noite os duendes apresentavam a nave para os novatos, Mas também precisariam limpar, lidar com os fatos. Saíam de suas cascas ao amanhecer Percebi que ali tudo que eu quisesse eu poderia ser. Após a limpeza, aumentar...
Ser sem Fim

Ser sem Fim

Um brinde aos prefeitos eleitos, muitos deles bem suspeitos… Sem copo, meu bic acendo Só sei que meu voto eu não vendo. Na paz de Jah só vejo luz Doida nada, só estou fazendo juz A todo poder que está dentro de mim Sim, me sinto um ser sem fim Em profunda meditação Só escuto a voz do coração Sei o poder de cura que me fora dado E preciso de cautela, cuidado! Com cuidado me abro para qualquer obsessor Não vou deixar ninguém aqui sentir aquela dor Assumo a briga, a responsabilidade Sei fazer bom uso da minha sensibilidade Venha pra mim, que luto, sem medo Com minha luz eu ganho sem segredo Só vemos fim, o barco tá furado Já tá todo mundo saturado Nada é nosso, é tudo emprestado Mas o mundo não precisa viver assustado Não existe fim, nem começo Nós somos o próprio infinito, sem preço Abro meu campo pra energias densas De que valem experiências pouco intensas Como instrumento da criação, Percebo que transmutar é minha vocação E isso me faz feliz, me faz rir A vida vale a pena quando não paramos de sorrir E nada é nosso, é tudo temporário A vida passa e nem vemos o horário Já é tarde e mais ganhou quem viveu Quem foi resiliente Confiante Humilde Se fez de instrumento Passou! A vida se foi como o vento. Até gosto de desafios pelo risco É aprendizado por isso arrisco Zona de conforto, pra mim, é coisa pouca Quero mesmo gritar até ficar rouca Quero mergulhar em mim, Porque sei que sou um ser sem fim A...
Vai passar

Vai passar

Já tive essa mesma vontade de desistir, uma enorme vontade de partir, vinha de um vazio no coração, me diziam que era falta de oração. No meu íntimo, porém, eu sabia que era algo muito mais além. Não queria pertencer a esse mundo de consumismo nem diminuir minha dor com eufemismo. Eu não sabia como eu iria sair do sistema não queria fazer parte desse sujo esquema. Até que um dia me percebi um espírito com liberdade Bastava ir atrás de viver minha própria verdade. Voa, voa… Liberdade! Espírito Livre voa! Não se limite…. Não se aprisione nessa camisa de força ela é ilusória e temporária. Espíritos livres, somos todos nós Precisamos apenas identificar e desfazer os nós Procurando mergulhar fundo em mim, entendi que eu sou um ser sem fim. A cada dia descobrindo uma novidade, a experiência não vem só com a idade, e sim com a intensidade que se vive, com atenção plena e uma dica: não se prive! O mais importante foi deixar de me vitimizar preferi o meu tempo otimizar Ao invés de culpar os outros por minha dor, resolvi praticar cada dia mais o amor. Voa, voa… Liberdade! Espírito Livre voa! Não se limite…. Não se aprisione nessa camisa de força ela é ilusória e temporária. Aquela vontade de partir se foi com a meditação, e também com a prática diária da gratidão. Mas a compaixão foi determinante nem preciso dizer o quanto me senti gigante! Eu entendi que independente de religião, estamos aqui para evoluir, sem limitação. Se nos sentimos presos, limitados, os valores da sociedade podem ser refutados. Pois nem sempre...
Nota de Rodapé

Nota de Rodapé

Eu só quero paz irmãos, sobrinhos e pais Confesso que penso o tempo todo “Gabi, corra!”, Mas família é importante, porra! Eu só vejo um país em guerra, Injustiça, miséria e intolerância com quem erra. É a Cultura do circo e do pão, tudo na Veja é manipulação. Escolhi acreditar e pensar diferente, Hoje já me sinto em paz genuinamente Não me sinto uma vítima, e minha escolha é sábia e legítima, assumi o controle da minha existência, eu não tenho culpa se alguém aí Optou pela desistência. (melhorem, apenas) É por essas que me cortam, não é? Por eu dizer duras notas de rodapé. Eu tenho que ouvir, calada, coisas absurdas Por que só eu aqui preciso mesmo me fazer de surda? Transcendi as notas, já não me importo em ser vermelha. Afinal, agora ostento ser a louca doce ovelha Pra me entender, Não vejo em vocês paciência, ficam só me tirando de pseudociência. Não botam fé na filosofia que resolvi acreditar Mas fui determinada e consegui morar em frente ao mar. Nunca enfiei goela abaixo nada para ninguém, Só que os mais espertos já se aproveitam de uma parte do que sei. (gratidão por confiarem em mim!) Desequilíbrio, depressão pouca fé e muita reclamação. Eu era muito assim, nervosa, Já não sou mais alguém ansiosa. Tudo porque escolhi ver a vida com outro olhar, Fui atrás de quem sou, e em Santos finalmente encontre um lar. Minha visão é mais do que ingenuidade, É algo novo pra vocês, se chama maturidade. Há anos escolho o autoconhecimento Fui forçada no começo, mas ganhei discernimento Vivência, Experiência. Resiliência que a...
O mundo anda mesmo chato…

O mundo anda mesmo chato…

Às vezes me pego pensando como o mundo anda mesmo chato. As pessoas preferem olhar o mundo como um lugar feio e cruel, cada vez pior, enquanto poderiam olhar para o mundo como um lugar de evolução e cheio de beleza, amor, solidariedade. O mundo tá essa chatice porque as pessoas não aceitam as coisas como são, querem mudanças para ontem – porém ignoram todas as que já existiram, não percebem como já evoluímos, mudamos e estamos corrigindo nossas falhas aos poucos, a medida que cada consciência desperta. O mundo tá chato porque nós pegamos essa falta de aceitação e temos atitudes não produtivas: apenas reclamamos, ao invés de impactar positivamente o máximo de pessoas possível. O mundo está chato porque as pessoas estão ainda movidas pelo ego – medo, raiva, inveja, ciúme, competição… As pessoas estão tensas, elas julgam o tempo todo. O mundo está chato porque soluções como perdão, paciência, não-julgamento e outras atitudes nobres são vistas como impossível, como fantasiosas. O mundo está chato porque ainda não sabem entender os sinais do corpo, do subconsciente e ficam culpando os outros pelos seus problemas pessoais. As pessoas fazem o mundo mais chato quando preferem compartilhar mais links sobre a crise do que links sobre como sair dela, como divulgar seu negócio na internet, como se motivar para sair da escassez. Ah, falando nisso: não podemos nos motivar. O mundo está tão chato que as pessoas felizes, gratas e animadas são tachadas de alienadas e frias, além de, claro, irritar ainda mais quem já está em estado de irritabilidade crônica. Claro que não sou ninguém para dizer que essa pessoa está...
Crenças são conceitos: quais os seus?

Crenças são conceitos: quais os seus?

Às vezes comento com uma pessoa: “Fulana, você pode analisar suas crenças sobre tal assunto para tentar desbloquear sua vida” e recebo a resposta: “mas eu não tenho crenças, simplesmente minha vida é assim mesmo, bloqueada”. Doce contradição. Como pode umas pessoa ter “nenhuma crença” e dizer em seguida “minha vida é assim mesmo, bloqueada”. Ela mesma fala da crença dela, porque – afinal de contas – nenhuma verdade é absoluta, então ela está escolhendo, de forma consciente ou não, acreditar que a vida dela não tem jeito. Se for uma escolha inconsciente, por inércia, essa afirmação “minha vida é bloqueada” vai se estabelecer no subconsciente e, finalmente, se tornará uma crença, uma convicção muito forte que guiará todas as atitudes, escolhas, passos, relacionamentos e sentimentos do indivíduo. Se essa crença já está estabelecida ou não, o importante é não alimentar. Apenas escolha, de forma consciente, pensar outras coisas, meditar após intencionar que seu subconsciente se abra para uma resposta do que bloqueia sua vida. Algumas pessoas acham que crenças se limitam a religião, ou fé. Outras pessoas interpretam crenças como opiniões ou convicções, mas muitas vezes são cabeça aberta e acham que não têm opinião, porque gostam de permanecer abertas. Porém, todo mundo tem crença: limitantes e/ou possibilitadora, porque não é algo que podemos escolher simplesmente não ter – talvez você acredite que seja merecedora de sofrimento, ou de felicidade. Vim compartilhar uma forma simples de entender do que se tratam crenças, que me fez muito sentido: você possui, assim como eu, conceitos formados que guiam sua compreensão sobre o mundo. Esses conceitos foram formados por diferentes estímulos...
Página 5 de 17« Primeira...34567...10...Última »