Interatividade

O rádio é interativo? Bom, é e não é. Não há como dizer que o rádio é 100% interativo já que a interatividade só existe mesmo na internet, onde os internautas podem deixar comentários e ler o que outros deixaram. Com o rádio a coisa não é assim. Não estamos falando do site da tal rádio, porque aí a mídia já não é mais rádio, é internet. Estou falando do rádio no rádio mesmo. Interatividade é quando os ouvintes e a rádio se comunicam: uma ligação do espectador que entra no ar ou um SMS ou email lido com a assinatura do ouvinte para dar informação de trânsito ou de qualquer outra coisa… Isso é interatividade. Mas, além disso, não há como interagir com o rádio, a não ser que você seja um louco varrido e fale com o rádio como naquele programa “O Mundo da Lua” (TV Cultura) que a Rosa, empregada da casa, conversava com o locutor. Na Band News FM podemos entrar em contato com eles por e mail e SMS e os locutores frequentemente falam algumas mensagens no ar. Na segunda feira, 18, eu estava na Raposo Tavares e ela estava parada por causa de um acidente, eu estava ouvindo a Band News e aproveitei para testar essa interatividade. Mandei uma mensagem de texto e em alguns minutos o locutor leu parte da minha mensagem, a que era mais importante. Mais uma vez, enviei uma continuação da mensagem anterior, eles leram de novo. Apurei depois que a Band News FM recebe entre 50 a 100 mensagens por dia, e pelo o que eu escuto, a...

Vai um romance acadêmico aí?

Pode fazer parte dos temas de novelas e filmes, mas os namoros que acontecem nas salas de aulas de faculdade não são tão idealizados nem dramáticos como eles mostram. Não é tão difícil como alguém pode imaginar, mas também não é fácil, isso requer um pouco de esforço das duas pessoas. Na faculdade há pessoas novas e interessantes, o clima é favorável. Como ultimamente é mais comum ver casais que começam ficando e depois passam a namorar, na faculdade é o que acontece. Ficam numa festa, no bar depois da aula, na reunião de amigos. Com Rafael e Paola foi aos poucos. “Rolou num churrasco da sala no fim do semestre, então todo mundo viu”, disse Rafael ao questioná-lo se eles tentaram esconder. Nas férias continuaram juntos, mas não era um namoro oficial. “O rótulo namoro mesmo só aconteceu depois de dois meses”, se viam todos os dias, eram amigos “já estávamos praticamente namorando”, completa. Para Rafael, é importante saber separar as coisas, “trabalho é trabalho e namoro é namoro”, aconselha. Eles já eram do mesmo grupo de amigos e faziam trabalhos juntos, nada mudou. No começo os dois se estressavam com algo da faculdade e descontavam na pessoa mais próxima. A solução veio depois de uma conversa “resolvemos separar bem as coisas para não prejudicar o relacionamento” disse Rafa, o namoro já dura quase 2 anos. Paola Verrastro e Léo não estão mais juntos, mas eles estão na mesma classe, namoraram durante um ano e continuam amigos. Começaram apenas ficando em um churrasco num sítio, só depois de um ano começaram a namorar. Curtiam o tempo que tinham:...

Nova lei do estágio em vigor desde ano passado.

Os benefícios e malefícios das novas leis do estágio. Todo jovem tem que começar de alguma maneira. Alguns esperam conseguir o primeiro trabalho quando entram na faculdade. Eles começam a procurar por estágios, mas não é raro se preocuparem com a maneira que a função é vista: mão de obra barata e funções sem importância. “… O que não é verdade. Basta a empresa ou local que contrata dar oportunidades para o estagiário mostrar o seu potencial.” Maria Fernanda Cortez, é estudante de nutrição. Para quem não valorizava o estágio, saiba que algumas regras mudaram. Os estagiários que trabalhavam até oito horas, poderão contar com algumas horas a mais de descanso: a carga horária agora é limitada a seis horas diárias. O estudante terá mais tempo para outras atividades e tarefas, melhorando o desempenho em tudo. Os estagiários gostam e os empresários não muito. “… O estágio perderá a fama de ser um trabalho qualquer.” Alegra-se Maria Fernanda que aprova a mudança. Já Lindaura Santos, proprietária e diretora de uma escola infantil, não gostou das mudanças. “O pior são as férias das estagiárias junto com as professoras formadas.” A empresária colocou na balança e preferiu não contratá-las mais, no lugar, colocará auxiliares já formadas. Essa mudança que é motivo da preocupação de Lindaura faz agora os estagiários tirarem trinta dias a cada doze meses de trabalho. Para quem ficar menos de um ano no emprego, deverá receber férias proporcionais. A duração máxima que poderá ter um estágio é de 24 meses. Vale lembrar que algumas empresas investem na contratação definitiva quando se completa esse período. “Costumávamos pegar estagiárias e...

Ser mais brasileiro é se expressar melhor em português

Quem disse que falar uma língua faz as pessoas mais patriotas? Num mundo tão globalizado como o de hoje as pessoas gostam de falar mais de um idioma, conhecer outras culturas e isso enriquece a nossa. Nem todo mundo que fala inglês quer se inglês ou americano. Só que saber é com certeza é um grande passo para conseguirem se entender com os outros. Uma língua no mundo tem que ser mais conhecida, mais “universal” e por acaso foi o inglês. É a maneira mais fácil de tentarmos conhecer pessoas do mundo inteiro, várias pessoas de todas as partes do mundo falam inglês. Outras várias no mundo falam espanhol, francês. Conseguimos encontrar em um único hostel (albergue) em Buenos Aires pessoas que falam português, alemão, espanhol, inglês, hebraico… Mas se todos esses falarem inglês, conhecemos um pouco de cada cultura do mundo inteiro. E o mundo, meus caros, é um só e é nosso. Nunca nos prejudicamos em dizer sem exageros alguma palavra estrangeira, só enriquece o texto, deixando com outra aparência. Uma vez escrevi “affaires” no sentido de “casos amorosos”, mas se eu escrevesse em português, poderia soar um pouco vulgar pela cultura brasileira e as pessoas podiam me interpretar mal. Confesso que não é todo mundo que entende todas essas palavras, mas não há empecilho algum em explicar, depois que ela aprende o que é, passa a ser como uma palavra nova de nossa língua. Lembro de quando aprendi o que era esporadicamente, achei o máximo não precisar dizer de vez em quando sempre que precisava dizer isso. E a mesma coisa acontece com palavras estrangeiras. Você...

Usuários mal educados, biblioteca barulhenta. (2)

Bagunça atrapalha quem procura tranquilidade para estudar. A biblioteca da nossa faculdade não permanece em silêncio principalmente nos horários de intervalos, saída da turma da manhã e entrada da turma da noite. “Risadas e conversas altas tiram minha concentração”, diz aluno Isaque Criscuolo, aluno de jornalismo. Isso é causado pelo grande fluxo de usuários e a impossibilidade de todas as conversas serem controladas pelos funcionários ao mesmo tempo. Em toda a biblioteca há sinalização em papel e está no regulamento oficial que deve ser feito silêncio. Quando as conversas passam do limite, o aluno é logo advertido, mas muitos deles não respeitam os avisos e, às vezes, até são mal educados com os funcionários. Quem trabalha lá diz fazer o máximo que pode. “O que falta é educação de biblioteca.”, diz atendente. Os funcionários reclamam do barulho e concordam que é ótimo quando as pessoas tentam fazer algo para mudar a situação. O objetivo de todas as bibliotecas é a leitura, pesquisa e o estudo, mas o barulho desvia esses objetivos das pessoas interessadas e onde deveria ser lugar de estudo, passa a ser uma sala de conversas, de...

Biblioteca

Nossa biblioteca tem o ISO 9001, o que significa que adotou um padrão de normas de serviços, o que é muito bom para nós, usuários. O problema é que não adianta um atendimento e prestações de serviço excelentes se não conseguimos permanecer na biblioteca tendo que, ou suportar o barulho e bagunça ou ficar pedindo para as pessoas falarem mais baixo o tempo todo. De acordo com o Artigo 31º do capitulo XI do regulamento da biblioteca da faculdade: “A Biblioteca é um local de silêncio, para que todos tenham a oportunidade de estudar e pesquisar.”, mas não é bem isso que acontece na nossa. O artigo 31º ainda tem um complemento: “O usuário que desobedecer às normas (…) será convidado a retirar-se do recinto…” O que não é feito, com certeza. A estrutura de nossa biblioteca tem espaços que não são separados e por isso silêncio absoluto não é possível como deveria, sendo um local de estudo e pesquisa. Os funcionários que estão atendendo deveriam falar com a voz baixa suficiente para que o usuário escute e por sua vez, esse responder da mesma maneira. E os alunos entre si deviam se falar apenas o necessário e conversar isso em voz baixa. E isso não acontece e nenhuma atitude é tomada. Quando os alunos fazem barulho – o que não é só de conversa, mas todo tipo de bagunça – os funcionários deveriam se manifestar a favor do regulamento. Uma vez que um grupo faz barulho, os outros se sentem no direito de conversar da maneira que for sem se preocupar e isso só muda se uma pessoa...
Página 3 de 41234