Triângulo amoroso, criado por mim

Triângulo amoroso, criado por mim

“Ah, Lucas! É melhor eu ir embora… vou deixar vocês sozinhos! Vai que eu me apaixono, não vai dar certo…” eu disse. E ele sorriu, assim, como se eu não estivesse falando sério. “Você acha que é mentira?” completei. E ele só sorria. Aquilo partiu meu coração, porque não poderia ser sério? Ele era bem bonito, me interessei por ele na hora que eu o vi. No meio de tanta gente, ele não só me chamou atenção, mas também me acelerou o coração. Fazia tanto tempo que isso não acontecia comigo. O irritante era a diferença de idade… Ele tinha 17 e eu 22. Eu que cheguei pra falar com ele, mas como eu ia imaginar que ele era tão mais novo? A festa até que estava animada. Meus amigos eram poucos, mas conseguimos conhecer mais gente ali. Uns carinhas até chegaram em mim, eu acho, não estava prestando muito atenção. Eu queria bem o no-vi-nho, e nada tiraria ele da minha cabeça, sou assim. Nem sei por que existe preconceito. Eu já tinha me prometido que não ia ficar mais com menino tão mais novo, mas dessa vez eu podia ter aberto uma exceção, mas meus amigos vieram com um papo de que ele era muito novo, que tinha carinha de criança… eu fiquei pressionada e lancei logo um “é pra Fernanda, é pra Fernanda! Arrumei alguém da idade dela pra ficar com ela”. A Fê tem só 17 anos e ficou a festa toda num canto, no meio de um povo mais velho, então achei que ia ser uma boa saída para minha situação delicada, com meus... ler mais

A mulherada voltou a ser idealizada.

É lindo ver que os meninos cantam músicas não simplesmente românticas, mas que idealizam nós, meninas! Nossa geração está salva, quem estava perdendo as esperanças: a nossa, como as outras gerações, os meninos continuam a nos idealizar! Lembrando que esse post fala de algumas bandas específicas citando trechos etc, mas serve pra qualquer banda que você, menina, goste!       Pode negar a vontade, mas eu tenho certeza que você enlouqueceria se descobrisse que músicas como “Se Você Quiser”, do Cine; “Entre Lençóis”, da banda Quarter; e, “Sinta Essa Noite”, da Mash foram feitas PARA VOCÊ.        Mesmo eles assumindo ter um jeito “meio livre de viver” (Entre Lençóis), admitem que quando a menina quiser, ele vai estar lá. E quem concorda que, nos dias de hoje, isso já basta pra saber que o cara tem o mínimo de consideração por nós?       E não adianta negar que você não derreteria se ouvisse um gatinho dizer “se você quiser o meu mundo é seu” (Se Você Quiser).  Mas, não desmerecendo  as outras músicas que são demais, o que me faria sentir mais especial com certeza é se um cara composse a música que fala de uma mina perfeita chegando sem aborrecer ninguém e que todos os meninos ficam no pé, mas não ficam com ninguém, e falando “você me faz tão bem” (Sinta Essa Noite) puxasse a ponte pro refrão. Sério, o cara baba na mulher começando com a primeira frase “a cidade pára quando você vem”.       Eu fico me perguntando como é que faz pra conseguir ser uma dessas meninas inspirações pros caras. E admito... ler mais

Sei que assim não pode ficar.

faça um esforço para ler com a música, ela dá o ritmo ao texto.dê play e quando a música começar, comece a ler =] MixPod.com            Quietos e parados, Mateus e eu, em frente ao elevador do nosso andar. Eu estava com as chaves na mão e ele me olhando como se quisesse dizer algo. Parecíamos dois estranhos, esperando para nos cumprimentar. Aqueles poucos minutos me pareceram uns dez. Parecíamos dois desconhecidos. Não éramos.            Depois daquela noite, parecia que não íamos nunca dar certo. Nenhum de nós dois tinha coragem de dizer alguma coisa primeiro, então como sempre, ele foi o mais forte e disse: “odeio gritar com você”, e eu só chorei, por ser a mais fraca.            Eu não entendo porque tornávamos a brigar sempre que alguma coisa não saía como queríamos, e daí se as coisas não corressem como o planejado? A gente não pode ter tudo que quer, o tempo todo. “porque brigamos tanto?”, perguntei.           Sem respostas girei minha chave para abrir a porta, sabíamos que logo minha mãe chegaria e eu o deixaria ali como se nem o conhecesse. Ou ele fazia alguma coisa rápido, ou vai saber quando íamos poder falar disso de novo, a sós.            Se não fosse pela vontade dele repentina de me beijar, eu teria entrado em casa, ligado o chuveiro e o rádio e tudo daria certo, não iria mais chorar. Mas ele veio até mim e apertou minha bochecha como fazia quando queria me fazer rir. Mas não sei... ler mais

Solteira, sim… Sozinha nunca?

Outro dia uma pessoa comentou que estou solteira porque eu quero. Foi aí que eu comecei a pensar. Primeiramente, pensar que não, que essa pessoa estava totalmente equivocada. Eu vivo falando de amores impossíveis, homens bonitos e um ou outro menino que poderia me fazer feliz e eu fazê-lo feliz. Não estou apaixonada nem nada, mas se eu estivesse penso seriamente que eu não seria correspondida, pelo simples motivo de não existir ninguém apaixonado por mim, ou seja, não importa por quem eu me apaixone, ele endubitavelmente não estaria apaixonado por mim. Depois de pensar nisso tudo, pensei que talvez eu seja muito exigente, que queira alguém que realmente me faça rir, ao mesmo tempo seja sério e responsável, que tenha planos e me ajude a avançar espiritualmente. Mas nem estou desesperada procurando, mesmo parecendo, não estou. E será que a pessoa que me disse isso está realmente certa? Como estava certa uma outra pessoa que me disse que eu procurava nos lugares errados. Quem disse que eu preciso ter vários meninos no meu pé em uma balada para ser especial? Quem disse que preciso ser padrão de beleza para alguém gostar do meu sorriso? E quem disse que preciso gostar do que todos gostam pra me divertir? Meu consciente sabe de tudo isso, mas meu insconciente insiste em duvidar da minha capacidade de conquista. Outro dia estava no carro com uma amiga minha, a Giu, e um menino de um carro do lado começou a conversar com a gente, eu nem dei bola, nem sabia o que era. O menino era bem bonito e ficou me paquerando. Eu pensei... ler mais

O mundo quer um acordo pra valer!

         Os representantes de cada país estão em Copenhague, na 15ª Conferência das Partes (Conference of Parts, CoP15) tentando negociar um acordo global para o clima. Esperamos um documento com metas, medidas e ações ambientais determinadas. Campanhas TicTac        Seria muito fácil se todos decidissem diminuir as emissões de carbono, mas a coisa fica difícil quando isso afeta o bolso de todo o mundo – literalmente. Todo mundo quer ver o mundo melhor, desde que sua fartura, seu luxo, suas viagens e seu desperdício não seja prejudicado, aí eles assinam. E outra coisa: ajudar o próximo, os mais necessitados, os mais pobres? Eles devem pensar: “O que EU ganho com isso?” Um absurdo, na minha opinião.        E para dar um empurraozinho – ou zão – na decisão desses representantes mundiais vários focos de protestos foram detectados. Na Av. Paulista, dia 11 e 12 de dezembro, eu estive lá. E não sei porque, mas estou a sensação de ter funcionado. Brincadeira, é claro que eu sei porque!          Sexta foi um pouco frustrante na verdade. Quando meu irmão e eu chegamos, já havia lá a Cleo, ela estava com um cartaz e vestiu uma fantasia da mãe Natureza, muito legal! Depois meu irmão conversou com um rapaz que gostou da ideia de ficar segurando uns cartazes. Éramos quatro. Depois chegou a Bia e o Daniel. Depois minha irmã e meu cunhado chegaram. Mas nisso um já tinha ido embora, outro também e foi assim. Mas fizemos um estraguinho, com certeza. Os pedestres paravam para ler e o pessoal nos carros tentavam.... ler mais

Consciência e Ações Ambientais!

            Galera! Esse clima de Natal é bom, né? Pois é… E hoje de manhã, vi várias luzinhas ligadas, e pensei: “o que a gente ganha com essas luzinhas acesas? Nada, mas mais energia é desperdiçada e tudo o que desperdiçamos hoje, vai fazer falta um dia.”       Dizem que cada pequeno gesto já ajuda, não é? Neste Natal vamos enfeitar nossas casas com materiais dos natais passados, mesmo que estejam usados e um pouco quebrados: não vamos desperdiçar, vamos reutilizar.        Esse assunto casa-se muito com outro que também eu vim pra falar.                Neste final de semana, vamos participar de ações que vão fazer diferença nas nossas vidas.        Será no dia 11 de dezembro, sexta feira, às 19h lá na Paulista, no MASP. Vamos fazer uma vigília em homenagem a todas as pessoas que serão afetadas pelo aquecimento global caso um acordo concreto não seja feito em Copenhague, na Conferência das Partes (+ sobre a CoP15). Vamos agir! Espero encontrar você lá na Paulista! Ainda temos chance!  De São Paulo, Gabriela Pagliuca e qUATRO aNOS para o... ler mais

Sophia e Pierre… Pierre?

(ligue a caixa de som, dê play e stop quando sugerido, vamos tentar algo novo. dica: se você conseguir só escutar a música sem prestar atenção nela,  melhor)            O show ia começar logo que lotasse a balada. Para esperar, sentei no puff verde limão num canto da pista. Minha amiga estava no banheiro e para não perder o lugar, fiquei. Eu estava bem em frente ao palco e da pickup, Fred e Marcelo já a assumiam, deixando um som ambiente com o estilo da banda deles.            Eu estava distraída, lendo meus e mails no meu smartphone, meio sem prestar atenção, mas de repente senti um vento, ouvi um murmurinho e umas risadas… era ele, tinha certeza! Pierre havia chegado! As risadas eram dos amigos que conversavam algo que eu não podia ouvir e  o murmurinho de algumas meninas que como eu, ficaram felizes ao vê-lo. O vento eu não sei, acho que foi coincidência.            Eu o via sorrindo e me peguei sorrindo junto, sem motivo. Meu coração batia acelerado e me veio aquela vontade espontânea de ir falar com ele. Não fui. Tinha medo. Não sei do que, mas eu tinha. Eu nem percebia as coisas que aconteciam na minha frente: as meninas abraçando os meninos da banda; Tomás, o vocalista, chegando; mais murmurinhos; os staffs  arrumando o palco e muita gente entrando na minha frente…            Quando dei por mim, eu já estava de pé tentando seguir Pierre com os olhos, não conseguia pensar em outra coisa, nem sei como meu celular... ler mais

A polêmica das pulseiras coloridas – A pulseira do sexo!

Quem já ouviu falar na pulseira que tá na moda entre os adolescentes? Essa moda começou na Inglaterra e já se espalhou pelo mundo. Elas são coloridas e já chegaram aqui no Brasil, mas não com todo o significado que tem nos outros países. Nos lugares em que a moda vem também com a preocupação dos pais, é porque cada cor corresponde a uma ação: beijo, abraço, exposição de partes do corpo e todo tipo de sexo. A menina usa, o menino tenta quebrar e se conseguir, ela tem que fazer o que a cor significa.        Gabi Freitas, é paulista, tem 14 anos e ficou chocada ao ver que as pulseiras tinham significados vulgares, mesmo assim continua a usar porque acha que eles são apenas invenção e além disso, “eu acho que pode até ter significados, mas caso alguém quebre, a pessoa só faz o que a cor diz se quiser”, ela disse que nunca viu ninguém brincar assim e que para menina fazer o que a cor manda, se ela não quiser ,”a menina tem que ter uma cabeça muito fraca.”        A brincadeira não vem com nenhum tipo de violência física, é um jogo que as meninas e os meninos sabem muito bem as regras. Quem faz o que a pulseira quebrada pede é porque quer e não porque é obrigada a fazer, é claro que sempre tem aquela coisa de ser rejeitada e zuada, mas cada um é dono de seu corpo e tem que saber impor limite, e esse você descobre quando começa a se sentir desconfortável quando pensa em fazer... ler mais

Por trás das cortinas de espetáculos teatrais.

                    Quando a gente assiste a uma peça de teatro muitas vezes passa pela nossa cabeça como é o outro lado, como foi a preparação, como os atores se sentem, não é? Eu fiquei pensando nisso e conversei com alguns estudantes de teatro, em São Paulo, na véspera da estreia da primeira montagem de suas carreiras.                     O nervosismo era nítido em todos os rostos, além de ser a estreia da peça, era a primeira vez que apresentavam um espetáculo para a maioria dali. Ouviam-se desabafos da noite sem dormir ou mal dormida por causa de pesadelos, por exemplo, mas tirando isso, os comentários eram positivos e confiantes. Eles trabalharam o semestre inteiro e conseguiram aplausos de pé – e realmente merecidos.                     O maior desafio para a estudante Kuthy Aguiar, 35, era entrar no personagem e conseguir manter a calma na hora da apresentação. Uma opinião não muito diferente de seu colega Fernando Moraes, 15: “ter concentração suficiente, na hora que dá um nervoso, para vivenciar o personagem“, em compensação, para ele, no momento vem a emoção e tudo sai com naturalidade, sem pensar.                     O ambiente é de amizade, e cooperação – gostaria que servisse de exemplo para o resto do mundo –  tanto que para Kuthy a parte mais fácil do processo é a convivência com as pessoas.                     De acordo com os estudantes, não houve muito tempo de ensaio e a principal preparação foi a de cada personagem. É necessário conhecer, cada um, o passado, a idade, como pensava, como agia e a época que vivia o personagem que interpreta. Só depois que cada um... ler mais

Legalização dos imigrantes em situação irregular

         Um dos motivos de eu gostar de sair com amigos é que sempre aparece um assunto interessante. Ontem minha cunhada me convidou para fazer parte de um mutirão para ajudar os imigrantes ilegais, que vivem situações desumanas, para colocar em prática a nova lei da anistia.           De acordo com o site da Polícia Federal, a nova lei de anistia faz com que todos os estrangeiros que chegaram no Brasil até dia 1º de fevereiro desse ano com situação irregular, sejam legalizados. O prazo vai até 30 de dezembro. Ainda de acordo com o site: “Os beneficiados terão direito à liberdade de circulação em território nacional, pleno acesso ao trabalho remunerado, à educação, à saúde pública e à justiça”. A polêmica Algumas pessoas são contra essa legalização porque está tirando o emprego dos brasileiros; porque se nem para os brasileiros há emprego e vida digna, não vai ter para estrangeiro; isso pode fazer cada vez mais estrangeiros se mudar para cá; e outros motivos contra. Por outro lado, há quem diz que mesmo o Brasil não sendo o país dessas pessoas, tendo ou não direito de ficar, essas pessoas são seres humanos e estão vivendo como escravos e acreditam que isso não é certo. A questão é: é fato há imigrantes ilegais e vivendo em situações deprimentes. Quais são as opções? Tirá-los do país. Legalizá-los. Ignorar a situação. Se a legalização vai ajuá-los a sair dessa, se vai tirar empregos dos brasileiros, se vai incentivar a vinda de mais estrangeiros para cá, isso eu não sei… talvez, não, sim… o importante é... ler mais
Página 20 de 37« Primeira...10...1819202122...30...Última »

Confira meu Single A Resistência das Minas

 

Sou escritora, terapeuta holística, facilitadora de processos de autoconhecimento e estou colocando “Ritmo” em meus escritos (Poesias) e fazendo um RaP disso tudo, um rap no estilo “zen vergonha”, risos.

Eu amo escrever e compartilho meus processos de evolução para que as pessoas se sintam inspiradas a correrem atrás de seus próprios sonhos.  Quando eu escrevo, exponho meu ponto de vista. Minha leitora ou meu leitor não necessariamente concorda comigo e, na verdade, concordar ou não é o que menos me importa.

Quando escrevo, estou fazendo uma terapia. Estou tirando algumas conclusões de assuntos que muitas vezes são inconclusivos. Conclusões essas que posso expandir ou até mudar a partir de uma nova informação ou experiência. Quando escrevo, estou racionalizando meus processos de autoconhecimento e conhecimento do mundo.

Quando eu disponibilizo o que estou escrevendo para que as outras pessoas possam ler, minha intenção é que, se sentirem no coração, reflitam sobre e tirem suas conclusões pelas próprias experiências!

Como terapeuta e facilitadora de processos de autoconhecimento, sou praticante da técnica de cura energética ThetaHealing e criei uma Oficina de Autoconhecimento. Essa Oficina tem uma metodologia exclusiva porque é do meu coração para o coração de vocês, eu mesma desenvolvi a partir de estudos de comunicação (sou formada em Jornalismo), cura energética e reprogramação mental (ThetaHealing e outras técnicas) –  então é bem especial mesmo <3

Essa metodologia chamada Sistema de Gerenciamento de Questões Pessoais propõe um novo olhar sobre um “problema” (questão), com foco na *solução*.

Estou produzindo meu primeiro álbum de música como Gabitopia e logo tratei novidades <3

 

Paz e Luz

Nesta categoria, você encontrará textos sobre minha experiência com a espiritualidade. Como um Ser em evolução, faço aqui as reflexões sobre como me conectar com meu Eu superior e como posso ser uma pessoa melhor no meu cotidiano com minha família, amigos, desconhecidos e nas relações profissionais.

Esta categoria é muito mais genérica e estão os textos sobre comportamento, vegetarianismo e outras reflexões sobre o meu estilo de vida ideal.
Estilo de Vida

Esta categoria é muito mais genérica e estão os textos sobre comportamento, vegetarianismo e outras reflexões sobre o meu estilo de vida ideal.

A categoria mais antiga do blog! Em Crônicas você pode ler todos meus textos cheios de aventura, romance, reflexões e, claro, muito beijo na boca. Tudo escrito com muito carinho, cada crônica escrita no tom e no ritmo que achei coerente para o tema.

A categoria mais nova do site, criada em Julho de 2015.  Segundo Aristóteles, a catarse diz respeito à purificação das almas por meio de uma descarga emocional provocada por um drama. Neste espaço exponho porque eu me sinto purificada com algumas obras artísticas, por exemplo: músicas, longas ou curtas ou artes plásticas.
Catarses

A categoria mais nova do site, criada em Julho de 2015.  Segundo Aristóteles, a catarse diz respeito à purificação das almas por meio de uma descarga emocional provocada por um drama. Neste espaço exponho porque eu me sinto purificada com algumas obras artísticas, por exemplo: músicas, longas ou curtas ou artes plásticas.

Em Matérias, publico os textos jornalísticos que produzo de forma independente e livre. Os temas são os mais diversos, inspirados nos últimos acontecimentos ou de temas que são relevantes para mim. Alguns materiais são da época da faculdade em que guardo com muito carinho toda aprendizagem dessa importante fase da minha vida.

Essa categoria foi criada após eu conhecer o campo da manipulação de energia com o objetivo de curar minhas feridas emocionais e fisicas, sanando-as e desobstruindo meus centros de energia para que eu possa cumprir minha missão de forma mais saudável, feliz, em paz e com gratidão. Aqui compartilho o que aprendo.

Gabriela Pagliuca

aka/vulgo Gabitopia

Sou artista e facilito processo de autoconsciência. Alimento o Gabitopia, esse blog, há mais de 11 anos. Estudei e sigo estudando comunicação, facilitação de grupos e técnicas de cura a partir de manipulação de energia (holística).

Meu blog é onde está quase todo meu trabalho como escritora, para saber mais clique aqui. Para saber mais do meu trabalho como facilitadora de processos de autoconhecimento, acesse aqui.

Meu propósito é amar, dar amor e estar em paz. Aqui é meu lar virtual, uma ferramenta para eu cumprir meu papel!

Gosta do Gabitopia?

Faça uma Contribuição Voluntária

Para apoiar o Gabitopia e meu trabalho de forma geral, você pode contribuir no botão abaixo, com o valor que quiser. Se quiser fazer uma contribuição voluntária ou parceria recorrente (mensal, semestral, etc), entre em contato no gabitopia@gmail.com que podemos conversar melhor.

Agradeço muito a todos que já me apoiam, pois sem esse apoio não conseguiria!

Envie uma mensagem preenchendo o formulário:

gabitopia@gmail.com

w

(13) 981310537

whatsapp