Como votar?

              Esse post começou como um comentário no post do blog Culturítica, do meu BFF e blogueiro do qUATROaNOS, Isaque Criscuolo, mas começou a ficar muito grande, então virou post. “Votar ou Não Votar Nulo” é um post ótimo e recomendo: É um esclarecimento para quem está na dúvida no que fazer para mudar a área política no nosso país! Isaque disse no post: “Como escolha consciente, os votos nulos e brancos podem até ser aceitos. Desta forma, o voto nulo indica que o eleitor não aprova nenhum dos candidatos, enquanto o branco indica a aprovação por todos, indiferente de quem seja eleito.” Se há tanta gente honesta e com vontade de mudar o país, porque continuamos votando nessas mesmas pessoas? Mesmo eu tendo influências e pensamentos um pouco de esquerda, acho que o melhor sistema político é a democracia, mas ele precisa funcionar com pessoas nos representando, para melhorarmos alguma coisa, o importante não é votar em branco ou nulo, mas sim  conhecermos em quem vamos votar.  Sou da opinião que não é possível todos os candidatos serem maus e desonestos. O únido problema é que na mídia e na classe dominante, os candidatos mais famosos que aparecem, os que têm mais visibilidade e influência são aqueles que estão nos partidos mais tradicionais. Mas será que queremos mesmo esses canditados nos representanddo?  Nunca vou me esquecer que uma vez uma conversa com um amigo: amigo: – em quem você vai votar? eu: – em Fulana. a: – Não, Gabi… a Fulana não tem nenhuma chance de ganhar, então é melhor você votar no Sicrano para o Beltrano... ler mais

Alto Astral e impressora!

Alto astral! Já me conformei que não posso mudar o mundo inteiro e fazer dele um lugar muito melhor para todos. Mas percebi que se eu puder atingir pessoas perto de mim, já estará ótimo, será minha missão cumprida. Se eu consigo, é porque eu uso o segredo do puro alto astral! Não é só falar e pensar, mas agir. Tenho alguns segredos como não falar mal dos outros, não olhar tudo pelo lado negativo, não ficar toda hora reclamando das coisas, tentar sempre resolver os problemas e não ficar só me lamentando. Se as coisas saem errado, temos que nos concentrar e agir para que elas voltem para sua órbita natural. Quando sofremos, choramos e  ficamos com raiva, temos que aproveitar tudo isso pegando toda essa energia que se acumula dentro de nós e colocar num transformador, fazendo tudo o que era negativo, virar positivo. Mas esse transformardor, cada um tem o seu. O segredo, na verdade, é tão fácil que parece pegadinha de vestibular, mas não é. Realmente parece difícil porque pensamos que só acontecem coisas ruins com a gente, não damos muito valor as coisas boas e essas coisas vêm quando decidimos, e leiam bem, DECIDIMOS parar de ver tudo pelo lado negativo.  Reclamar, falar mal e criticar de todos, não adicionar nada na vida dos outros não vão nos levar a lugar nenhum. Temos que tentar viver com paz, amor e bastante alto astral.  É assim que eu deixo o mundo mais pink, e você? Impressoras Tanto alto astral, vou te contar o que me deixa extremamente indignada. São as impressoras de hoje em dia.... ler mais

@Adolescentes no Twitter

 O Twitter o pessoal já conhece, começou a bombar no Brasil no começo do ano. Mas que fama toda é essa que tem entre os jovens? Para entender melhor o que está acontecendo, conversei com seis deles que me acompanham no Twitter do meu blog pessoal. Aparentemente, esta é uma fase de transição, os adolescentes vêm dizendo que o Twitter vai dominar as redes sociais como, por exemplo, o Orkut. Ana Caroline Alves Melo, 15 anos, acha que “com o tempo o Orkut foi perdendo a graça”, ela mantém sua conta, mas usa mais o Twitter, e ainda diz: “a maioria dos adolescentes que conheço tem”.  Mesmo gostando e usando muito a novidade, Caio Barros, 12 anos, diz que seus amigos ainda não usam “não por ser ruim, mas porque eles não querem experimentar a novidade… ou então não a entendem”.     Juliana Almeida , 18 anos, tem quase 4.700 seguidores que não sabe direito de onde surgiu, acha que foi através de indicações. Pra ela, o Twitter e o Orkut serão usados paralelamente, porque “a forma de interagir é um pouquinho diferente, cada um tem um atrativo especial”. Na opinião de  Thábata Carrion , 16 anos, o  facebook  também é popular, mas “quando todo mundo tiver, o povo ‘tecnologicamente elitizado’ vai migrar para outra rede de relacionamento”. Uma afirmação que combina com a de  Lucas Vinicius , 12 anos, “o pessoal procura mesmo novidade, no mundo de hoje não dá pra ficar só em uma coisa”. Os objetivos do site são vários: fazer amizades, conhecer pessoas bacanas, ter mais contato com as celebridades (ou virar uma, talvez?), se divulgar e espalhar suas ideologias: “não muito… só quando estou inspirada. Na maioria... ler mais

Gabi fala com Bernardo Falcone

Em busca de mais novidades para os leitores do meu blog, consegui conversar com o (fofíssimo) Bernardo Falcone, que representa Fred, um dos personagens principais e mais lindos de Quando Toca o Sino do Disney Channel (para quem acompanha não acha lindo a Bela e o Fred? _o/ eu acho!). Bernardo Falcone tem 26 anos, é ator, cantor, lindo, e… com tantas qualidades, eu pensei que ele podia ter visão laser também, mas, para minha decepção, ele disse que não. “(risos) Não tenho visão laser, mas consigo me teletransportar. Tô brincando.” Sobre o que ele faz, disse: “Eu sou muito ligado a artes, gosto de escrever, compor, mas isso eu guardo pra mim, deixo pra ler daqui a alguns anos.” Acho que os fãs iam amar ler, mas tudo bem, vamos respeitar a privacidade do nosso ídolo lindo! Para ele, a diferença entre trabalhar no Disney Channel e em um canal aberto é o direcionamento da comunicação e o público bem definido: “A gente sabe pra quem está falando e, por isso, sabe como falar ou pelo menos, é o objetivo que buscamos. E o público do Disney Channel é um público muito fiel, exigente e antenado. Por isso temos que ficar espertos o tempo inteiro.”, quem discorda? Eu não! Apesar de adorar crianças, dificilmente está no meio delas, além disso, quando perguntei se ele era muito reconhecido na rua, ele respondeu: “Depende. Eu sou muito diferente de como apareço na TV. Sou mais ‘largadão’, ando com a barba por fazer…”, então, pessoal, vamos prestar mais atenção nesses detalhes (brincadeirinha)! Quando eu, Gabi, converso com as pessoas sobre sensações... ler mais

Tática infalível

Sabe aquela vozinha que fica falando toda hora em nossos ouvidos? Às vezes não parece uma pessoa? Não dá vontade de conversar com ela? Pois bem, eu seria essa vozinha se eu fosse invisível! Eu não vou mentir: usaria isso como estratégia pessoal. Chegaria bem perto de cada pessoa do meu interesse e sussurraria: “sou seu inconsciente! Faça isso que é melhor pra você!” E depois assopraria em seu ouvido, repetiria a mesma frase e acompanharia a pessoa até convencê-la. Para o menino dos meus sonhos, diria “ela é tão bonita, porque não tenta conhecê-la? Ela é muito legal e inteligente, vocês têm muito em comum… ” Para meus professores, principalmente para o de química, diria: “Ela foi uma boa aluna o ano inteiro, não precisa reprová-la só porque não sabe a tabela periódica decorada!” Para meus pais, com certeza não pensaria duas vezes “sua filha é tão boazinha, nunca fez nada errado, porque não deixá-la chegar um pouco mais tarde nos finais de semana?” Se der tempo… faço alguma coisa pela paz mundial, mas acho que isso ninguém vai poder resolver só de estar invisível. E vocês? O que fariam se fossem invisíveis por... ler mais

Escolha Saudável

A festa começou. Já havia tomado dois energéticos lá fora, a final, sabemos que dois fora da balada é o preço de um, dentro. Depois de me dar asas, é impossível ficar desanimada, mas minhas energias estavam se acabando na pista, ao dançar. Putz, putz, putz, putz, pá, pá, pá, pá, pá… Uma e quinze da manhã, bateu a primeira sede, comanda na mão? Sim! “Uma coca, por favor? Não, melhor, pode ser um guaraná!”, geladinho e refrescante, tudo o que eu precisava para repor as energias.Tsááá. Glup, glup, glup, Aaaaah! De volta à pista. Lá pelas três horas, o calor estava de matar, algumas pessoas já estavam bêbadas e outras desanimadas. A sede se acumula de novo – não podemos beber em balada SEMPRE que dá sede, é muito caro tudo -, o bar estava próximo. Vamos lá, uma coca? Um guaraná? SEIS reais? E a água? Aquela coisa insípita, inodora e incolor?! Ah, vai água mesmo, levando em consideração que estava com sede e refrigerante é caro. Ao pegar na mão aquela garrafinha gelada senti algo diferente: era mais forte, mais pesada. A sensação foi ainda melhor quando abri a garrafa e não saiu gás como os refrigerantes. O primeiro gole veio sem muita vontade, mas em seguida os goles ficaram mais saborosos. “Dizem que a água é a origem da vida”, pensei. O consumo adequado de água ajuda a controlar a temperatura do corpo, nos mantém hidratados, equilibra a quantidade de sódio no corpo, ajuda a digestão, reduz o risco de infecções, ajuda a evitar dores no corpo, etc. Além do biológico, a água tem significado... ler mais

Felicidade

Nessa semana, vi uma cena peculiar: um senhor e uma senhora de idade sentados na calçada da Av. Rebouças entre a Av. Faria Lima e o shopping Eldorado – zona oeste de São Paulo – eles eram muito simples, estavam sentados num pedaço de pano no chão, as árvores serviam de varal e estavam tão a vontade que desconfiei se aquela não era mesmo a casa deles. O que mais me chamou atenção não foi apenas um casal de mendigos morando na rua, mas foi a felicidade que ela aparentemente estava. Algumas pessoas ao meu lado do ônibus comentaram sobre estarem bêbados. Eu não acredito, é uma hipótese, mas não é que necessariamente estavam. O homem estava deitado de lado, apoiado em seu braço direito, e ria com a mulher que estava sentada na direção de sua barriga, apoiada nele. Eles estavam dando gargalhadas, ela apontava pra algum lugar, estavam se divertindo de alguma coisa que não cabia a nós, do ônibus, entender. Sorri. Pensei no velho clichê das coisas simples. Eu que estava ali dentro cansada, com fome, sendo esmagada pelas outras pessoas que estavam sendo esmagadas por mim e outras também, com calor humano quase insuportável, eu não desejava mais nada além da minha casa, parei para refletir onde está a felicidade, que tanto buscamos. Lembrei de uma propaganda clássica que ficou por muito tempo na Av. Paulista, até a lei da cidade limpa, da Trip. A pergunta era: “você é feliz?” e tinha a foto de um senhor sorrindo bem grande, sem alguns dentes. Era uma propaganda linda, sempre me fazia pensar… Isso me faz pensar... ler mais

Zoológico de São Paulo e os animais!

Para mim, um domingo de sol se resume em praia ou tédio, mas no domingo passado, fui convidada para um passeio para o Parque Zoológico de São Paulo. Confesso que resisti um pouco por saber que encontraria os animais que tanto amo presos e infelizes, mas concordei em troca dessa matéria. Abrir os horizontes. Acordei cedinho e fui. O parque abre às 9h, o valor é de 14 reais a inteira (estudante paga meia). Tem 900.000 m² e a maior parte é coberta pela Mata Atlântica, um lago muito grande onde ficam alguns animais aquáticos. Além dos animais e muita vegetação, o parque tem lanchonetes e espaços para pique-nique. Um ótimo passeio para famílias preocupadas com o lazer das crianças, com respirar mais ar puro e sair da rotina. Conversando com um visitante, Thiago Lima, ele disse com o que se surpreeende “a natureza, animais, verde…” Mapa do parque Programas de consciência ambiental estão espalhados por todos os lados, por exemplo: logo na entrada tem uma placa bem grande com a frase “se liga na cor, jogue lixo no coletor” e essas mensagens se estendem pelo resto do parque. No meio do zoológico, também, há um espaço para as crianças aprenderem um pouco mais sobre ecologia, um programa do governo de São Paulo “Criança Ecológica”. Coleta Seletiva dentro do parque, uma de várias espalhadas. Conversei com uma senhorinha que disse ser “bicho do mato” e por isso não deixou que eu gravasse a entrevista. Era sua primeira vez no parque e o urso lhe chamou mais atenção. Thiago, que estava na fila para ver a parte dos sangues-frio, a... ler mais

Sedução

Hoje estava eu sentada no ônibus lá pelas 16h, saindo de uma aula chata de química.. Não tinha muita gente, todos estavam sentados. Tinha acabado de brigar com o menino que eu estou ficando por telefone e estava escutando Across the Night do Silverchair, quando o menino mais gato de todos os ônibus da cidade de São Paulo naquele instante entrou no que eu estava! Aquilo foi muito excitante e em câmera lenta… Primeiro vi a cabeça dele no penúltimo degrau e logo depois ele pisou no último, já olhando para o fundo do ônibus, na minha direção. Gelei. Ele colocou a mão no bolso e tirou a carteira preta, relou no leitor e o aparelho amarelo apitou… Até o apito foi um apito longo e baixo, então ele passou pela catraca fazendo o barulho trec, trec, trec. Ele era realmente lindo e olha que eu já conheci meninos de alto nível de beleza. Ele era moreno, com cabelos lisos meio jogadinho na testa (não emo, mas jogadinho), alto, braços fortes suficiente pra me fazer sentir protegida sem ao menos saber seu nome. Além de lindo, se vestia bem. Ele estava com uma blusa azul marinho, com desenhos brancos e calça jeans. Olhou nos meus olhos enquanto guardava sua carteira no bolso. Contei 3 segundos. Desviei. Contei mais 5 e olhei de novo. Ele estava ainda olhando, indo se sentar lá trás. Tremi. Sorri, ele sorriu. Só que sou atrapalhada e deixei cair as coisas no chão. E o vi sentando quase atrás de mim. Tinha que me recompor e não deixar que a primeira impressão ficasse. Aquele dia... ler mais

Assunto: 6/9 dia do sexo

Por favor, se você for criança, não leia esse texto. (USE CAMISINHA) (Legendas: @verde- rubricas / @vermelho – Antônia / @vermelho entre parêntes – pensamentos de Antônia / @azul – Ivan / @azul entre parêntes – pensamentos de Ivan / Considerações iniciais: não medi as palavras nos pensamentos porque.. gente… em pensamentos não medimos nossas palavras) Antônia e Ivan na mesa de trabalho em pleno sábado de manhã, lá pelas 10h, tendo que trabalhar até as 16h daquele dia. Os dois sem planos pro feriado de 7 de setembro. Antônia, bem bonitinha, mas nada segura de si, e seu amigo Ivan, sanguinário conquistador de mulherzinhas desavisadas e uma companhia nada agradável longe do escriório, são colegas de trabalho, nada mais. Nunca rolou nenhum clima até que… – (O gato do Ivan e eu sozinhos em nossa mesa, é agora) Ivan! Sabe que dia é amanhã? É dia da conjunção carnal! (estou me oferecendo em termos jurídicos, como sou otária!)… – (Conjunção carnal é sexo em linguagem jurídica? Por quê?) É mesmo, não é? (é hoje, meu querido, é hoje) [Aproximando-se de sua colega com a cadeira, falando baixo.] Antônia, eu sei que amigo é amigo, companheiro sexual é companheiro sexual, mas estou sem planos pra hoje, não quer comemorar comigo? (se ela disser não, falo que estou brincando. Não vou perder nada mesmo, ela nem é tão bonita assim) – (nossa, achei que ele ia ser mais sutil… gostei!) Ah, poderia ser até… (hora do cu doce) [Se afastando] se você conseguir me seduzir, tô dentro. – (não, eu que estarei dentro) Ótimo, mas você não quer esses negócios românticos, né?! – (que otário, sexo... ler mais
Página 20 de 36« Primeira...10...1819202122...30...Última »

Gabriela Pagliuca é Gabitopia

Sou escritora, terapeuta holística, facilitadora de processos de autoconhecimento e estou colocando “Ritmo” em meus escritos (Poesias) e fazendo um RaP disso tudo, um rap no estilo “zen vergonha”, risos.

Eu amo escrever e compartilho meus processos de evolução para que as pessoas se sintam inspiradas a correrem atrás de seus próprios sonhos.  Quando eu escrevo, exponho meu ponto de vista. Minha leitora ou meu leitor não necessariamente concorda comigo e, na verdade, concordar ou não é o que menos me importa.

Quando escrevo, estou fazendo uma terapia. Estou tirando algumas conclusões de assuntos que muitas vezes são inconclusivos. Conclusões essas que posso expandir ou até mudar a partir de uma nova informação ou experiência. Quando escrevo, estou racionalizando meus processos de autoconhecimento e conhecimento do mundo.

Quando eu disponibilizo o que estou escrevendo para que as outras pessoas possam ler, minha intenção é que, se sentirem no coração, reflitam sobre e tirem suas conclusões pelas próprias experiências!

Como terapeuta e facilitadora de processos de autoconhecimento, sou praticante da técnica de cura energética ThetaHealing e criei uma Oficina de Autoconhecimento. Essa Oficina tem uma metodologia exclusiva porque é do meu coração para o coração de vocês, eu mesma desenvolvi a partir de estudos de comunicação (sou formada em Jornalismo), cura energética e reprogramação mental (ThetaHealing e outras técnicas) –  então é bem especial mesmo <3

Essa metodologia chamada Sistema de Gerenciamento de Questões Pessoais propõe um novo olhar sobre um “problema” (questão), com foco na *solução*.

Estou produzindo meu primeiro álbum de música como Gabitopia e logo tratei novidades <3

 

Paz e Luz

Nesta categoria, você encontrará textos sobre minha experiência com a espiritualidade. Como um Ser em evolução, faço aqui as reflexões sobre como me conectar com meu Eu superior e como posso ser uma pessoa melhor no meu cotidiano com minha família, amigos, desconhecidos e nas relações profissionais.

Esta categoria é muito mais genérica e estão os textos sobre comportamento, vegetarianismo e outras reflexões sobre o meu estilo de vida ideal.
Estilo de Vida

Esta categoria é muito mais genérica e estão os textos sobre comportamento, vegetarianismo e outras reflexões sobre o meu estilo de vida ideal.

A categoria mais antiga do blog! Em Crônicas você pode ler todos meus textos cheios de aventura, romance, reflexões e, claro, muito beijo na boca. Tudo escrito com muito carinho, cada crônica escrita no tom e no ritmo que achei coerente para o tema.

A categoria mais nova do site, criada em Julho de 2015.  Segundo Aristóteles, a catarse diz respeito à purificação das almas por meio de uma descarga emocional provocada por um drama. Neste espaço exponho porque eu me sinto purificada com algumas obras artísticas, por exemplo: músicas, longas ou curtas ou artes plásticas.
Catarses

A categoria mais nova do site, criada em Julho de 2015.  Segundo Aristóteles, a catarse diz respeito à purificação das almas por meio de uma descarga emocional provocada por um drama. Neste espaço exponho porque eu me sinto purificada com algumas obras artísticas, por exemplo: músicas, longas ou curtas ou artes plásticas.

Em Matérias, publico os textos jornalísticos que produzo de forma independente e livre. Os temas são os mais diversos, inspirados nos últimos acontecimentos ou de temas que são relevantes para mim. Alguns materiais são da época da faculdade em que guardo com muito carinho toda aprendizagem dessa importante fase da minha vida.

Essa categoria foi criada após eu conhecer o campo da manipulação de energia com o objetivo de curar minhas feridas emocionais e fisicas, sanando-as e desobstruindo meus centros de energia para que eu possa cumprir minha missão de forma mais saudável, feliz, em paz e com gratidão. Aqui compartilho o que aprendo.

Gabriela Pagliuca

 

Sou escritora e atendo como terapeuta holística. Alimento o Gabitopia, esse blog, há mais de 10 anos. Estudei e sigo estudando comunicação, facilitação de grupos e técnicas de cura a partir de manipulação de energia (holística).

Meu blog é onde está quase todo meu trabalho como escritora, para saber mais clique aqui. Para saber mais do meu trabalho como terapeuta, acesse aqui.

Meu propósito é amar, dar amor e estar em paz. Aqui é meu lar virtual, uma ferramenta para eu cumprir meu papel!

Gosta do Gabitopia?

Faça uma Contribuição Voluntária

Para apoiar o Gabitopia e meu trabalho de forma geral, você pode contribuir no botão abaixo, com o valor que quiser. Se quiser fazer uma contribuição voluntária ou parceria recorrente (mensal, semestral, etc), entre em contato no gabitopia@gmail.com que podemos conversar melhor.

Agradeço muito a todos que já me apoiam, pois sem esse apoio não conseguiria!

Envie uma mensagem preenchendo o formulário:

gabitopia@gmail.com

w

(13) 981310537

whatsapp