Fast Foods!

Uma das coisas que eu nunca gostei é almoçar sozinho. Sou um ótimo cliente de restaurantes conhecidos e só como fora se for em boa companhia. Não é defeito, é só uma característica! Só que trabalhando no centro, fica difícil me alimentar bem, quer dizer, pra falar a verdade, me alimentar de qualquer maneira se não for na praça de alimentação do shopping, então desde que fui contratado, almoço no mesmo lugar. Eu nunca fui muito fã de praça de alimentação de shoppings, das comidas e do clima de fast-foods, mas na verdade eu não tinha como resistir já que eu sou muito fresco para comida e a empresa me dá desconto nos meus dois restaurantes preferidos. Fica até chato passar fome. O que peca nesse shopping são essas mesas de quatro em quatro pessoas, se duas estão sentadas, os outros lugares ficam ocupados por tabela, mas às vezes que não tem lugares vazios, eu sento mesmo, não tô nem aí. Acho que eles deviam fazer uma campanha de socialização, almoçar sozinho é chato. Quase todos os dias eu via uma garota. Ela sempre estava bem vestida. Vira e mexe estava no Subway, o restaurante teoricamente fast, e só comia vegetarianos. Estava sempre de fone de ouvido e balançava a cabeça pra lá e pra cá. E tinha aliança no dedo direito. Claro que reparei, ela era muito linda. Ela entrava na fila. Fazia o pedido. Batucava no balcão. Pegava a bandeja e sentava sozinha numa das mesas vazias. Ela sempre prendia o cabelo pra almoçar. Eu sempre ficava na tentação de ir falar com ela e de ocupar... ler mais

Corinthians.

Foto: Globoesporte.com É grande, é dourada e é levantada por William, o capitão do Corinthians com direito a acidentezinho básico para esquentar, literalmente, a comemoração. Além da felicidade imensa e nada efêmera, provamos com esse título que outro futebol é possível. Uma final limpa e bonita. O Santos jogou um pouco angustiado, mas jogou muito bem e bonito. O Timão não entrou na partida achando que já ganhou, não. Foi emocionante e os nossos corações não pararam um minuto de bater, arrisco-me dizer até que durante o campeonato todo, que lembrando, não perdemos jogo algum. Felipe fez sua parte no gol e até o fim. A partida foi disputadíssima, mesmo o Corinthians tendo uma vantagem por causa do jogo anterior, que ganhou de 3 a 1 em cima do Peixe. Por causa desse mesmo jogo, o placar de 1 a 1 nesse domingo deu o título para nós. Bom, na verdade não estou aqui para dar notícias, existem sites especializados nisso e vou deixar eles fazerem esse trabalho. Eu sou corinthiana, então preciso não ser jornalista por enquanto. Foi emocionante. Dava pra chorar, rir e perder a voz e gritar ainda mais alto ao mesmo tempo. Ah, eu gosto do meu time, eu sou corinthiana desde pelos seis anos de idade, que eu me lembre. Provavelmente minha irmã me incentivava, mas eu não me recordo. Sou menos corinthiana do que muita gente, mas sou muito mais corinthiana do que muito corinthiano por aí, pelo simples fato de não ser fanática e de amar esse time, respectivamente. Ano passado estávamos na segunda divisão do Campeonato Brasileiro e nós continuamos juntos…... ler mais

Íntimo

VÍDEO DO TEXTO… Eu tenho dois espelhos no meu quarto. Dois. Não uso nenhum pra valer. Escolho uma roupa, olho se combina, esqueço de olhar pro resto, olho pra roupa como se estivesse numa vitrine, em um manequim. Não uso os espelhos. Eu tenho uma frase escrita em cima deles: “não importa o que aconteça você está linda”. Sim, essa frase funciona por fora, para a beleza exterior, mas e quanto ao meu interior? Pensava que sendo bonita por dentro seria automaticamente por fora, e talvez seja isso mesmo, o problema é que eu não olho muito pra esse meu interior de verdade. Olho as coisas boas, me acho legal, sou boazinha, educada, até inteligente, eu acho. Eu me acho feliz, tenho uma boa família, saúde, não preciso me privar de estudar, nem comer nem me vestir. Mas esqueço de perceber que sempre falta alguma coisa. É essa coisinha de nada, que eu sempre deixo pra lá que me faz não me querer olhar no espelho, porque sei que não vou gostar do que veria. O que falta? O que me falta pra ser uma pessoa um pouco melhor? Descobri a verdadeira função de um espelho: fazer a gente olhar pra dentro de nossos olhos e enxergar o que tem de verdade nesse íntimo. Ontem eu olhei. Tenho muitas coisas, mas faltam outras. Chorei. E descobri que eu não só sou imperfeita, mas que às vezes sou também infeliz. P.S: esse post não é para ser levado a mal nem fiquem superpreocupados comigo, são pensamentos confusos e sentimentos... ler mais

Faz-me rir!

Minha primeira reação foi choque. A segunda foi choque. A terceira, me fez rir. Os pais gostam. Os filhos odeiam. Peraí. Pergunta aos pais: na juventude de vocês, vocês usaram drogas, bebida e fizeram sexo desfreadamente? Se sim: O que vocês podem falar para seus filhos? Usem vocês mesmo como exemplo, mostre a verdade. Se não: Porque seus filhos, necessariamente, vão pro “mal caminho”? “Logo conhece filho, conhece as drogas e conhece o álcool, conhece tudo que for que não presta…”, fala sério, pais, se vocês não confiam na educação que deram aos seus filhos, não deveriam tê-los feito. “Acho que as crianças tem que ficar em casa mesmo, tem que ter o limite.” Limite ensina-se desde pequeno, não vai querer prender o adolescente na cama, que ele não vai ficar, não. Mandando eles pra dentro de casa até as 23h não vai mudar nada, porque eles vão estar vivos nas outras horas, e se é pra fazer coisa errada, ainda mais revoltados, até em casa fazem, podem ter certeza. Os filhos são reflexos dos pais. E a sociedade? Bom, já que os pais estão inseridos na sociedade, se todos fossem bons exemplos, a sociedade seria... ler mais

Surpresa

Estranho como a gente nunca sabe o que se passa na cabeça das pessoas… Por exemplo, quando eu gostava de um menino da minha classe do colégio, ele me tratava mal na frente dos outros, mas quando estávamos sozinhos, inclusive na sala de aula, ele era muito legal, brincalhão, atencioso e falava coisas bonitas. Eu pensava que eram falsas, mas bonitas. É claro que era por isso que eu não conseguia desencanar dele. As minhas amigas falavam “como você pode gostar de um cara que te trata mal?” Mas na verdade, ele não tratava tão mal assim e quando estávamos sozinhos… Ah… A maldade dele era de adolescente. Ele era daqueles adolescentes que gostam de tirar sarro de todo mundo, se bobear até dele mesmo. Mas eu gostava dele. Ele chamava-se Bruno Cardoso. Ou chama, ele tá por aí ainda no mundo. O fato é que eu não sou mais apaixonada por ele, desde o 3º ano do colegial. Já se passou um tempão que a gente não se vê! A última vez foi há dois anos e meio, na festa de formatura da nossa classe, depois de lá, nunca mais. Ele veio falar comigo. – Oi, tudo bem? – Nessa época já tinha desencanado dele porque ele tava namorando a Malu, uma vizinha minha. – Vai fazer o que, agora que acabou o sonho? – Você se lembra, ainda? Faz tanto tempo. – Eu sempre falava que o colégio era um sonho e que eu morria de medo de acabar quando eu tava no, sei lá, primeiro colegial. – É… Eu concordava com você, lembra? – Eu vou... ler mais

Perfeita, eu? Não

Eu queria ser perfeita. Perfeita para que toda sua atenção se voltasse para mim. Não sei se essa é a coisa certa a desejar. Sabe, eu queria ser perfeita pra você poder me beijar do mesmo jeito que me beija agora, mas com mais carinho do que tesão. Queria que quando saíssemos você insistisse pra eu não ir embora, e que passasse mais tempo me beijando. Você não me beija muito. E eu gosto do seu beijo. Queria ser perfeita só pra você querer sair comigo sem precisar insistir e depois acabar me sentindo usada. Aliás, nunca quis ser perfeita por causa disso, sempre achei que sendo perfeita as pessoas iriam se aproximar de mim por causa dessa perfeição. Não acho que eu posso ser perfeita e só não sou por que não quero, não é isso não. O negócio é que eu não só tento não ser perfeita como me distancio de todas as possibilidades. Até no que eu posso ser boa eu faço questão de não ser. Mas com você é diferente. Se com todos os outros eu não queria ser perfeita para não ser usada, com você eu só não iria ser usada se eu fosse perfeita. Mas ah… Agora é tarde demais. É tarde demais pra tentar ser perfeita agora! Então, enquanto você não encontrar uma menina perfeita, não vou ter o que eu quero, ou vou ter pela metade, e quando encontrar… Não vou ter nada, mesmo. Eu vou continuar sendo a menina que de vez em quando passa pela sua vida. Se eu fosse perfeita. Eu poderia ter alguma chance. Mas não sei... ler mais

O método Daniele.

Fazia um tempão que eu não gostava de ninguém. Nem sei se é gostar, mas me interessar pra valer. Eu não queria, mas eu me apaixonei por um menino do meu colégio. Porra! É muito difícil admitir, mas eu estou fazendo e sei que vou estragar tudo de novo com isso. Tá ok. Eu nunca fui muito boa em relacionamentos. Não só não sou boa como consigo estragar todas as possibilidades de romance que me aparecem. Falando a verdade eu não acho que tenha alguma chance de dá certo mesmo, então tanto faz dizer ou deixar pra lá. Ele é do segundo ano, então só nos vemos na entrada e na saída do colégio, já que o prédio do colegial fica no outro lado, mas ele é amigo dos meus amigos e eu já conversei com ele algumas vezes. Nem sentia nada quando eu o via, ele é bonitinho, mas tudo começou mesmo quando eu conversei a primeira vez com ele pelo Messenger, eu fiquei fascinada com o jeito que a gente conversava. Não rolava altos papos de amizade, mas isso é o que eu achei mais legal. A gente tem potencial. Se fosse conversa de amizade, eu não estaria angustiada com o fim que levou essas conversas. Sério… Porque amigo é amigo e rolinho é rolinho. E eu, definitivamente, não quero ser amiguinha dele! Vou tentar usar o meu novo método de esquecer ou conquistar. Decidi que com ele vai ser ou oito ou oitenta. Aprendi com meu irmão – dêem os créditos pra ele, portanto – e se baseia mais ou menos em manter-se afastado da famosa... ler mais
O psicodélico, a arte e a razão.

O psicodélico, a arte e a razão.

Há três coisas que não podemos deixar de lado nessa vida: o psicodélico, a arte e a razão. Quando falo de psicodélico me refiro a todas as sensações diferentes e não necessariamente relaciono a drogas, veja bem. Sobre a arte eu digo tudo relacionado às sensações que ela transmite. Minha preferida é a arte visual e a música. E da razão é a razão por ela mesmo. Penso na alegria de estar em estado psicodélico. Nossa mente pede isso. Nossos sentidos também. Não se pode acreditar em tudo o que vê, mas de vez em quando precisamos acreditar mais em coisas que não vemos. A nossa mente consegue produzir efeitos magníficos se a gente deixar, se não impormos obstáculos.   Cada um se sente de uma forma em relação a isso. Tem gente que prefere as drogas, que confundem o cérebro e nos faz sentir como se estivéssemos sonhando, cada substância age de uma maneira em nosso corpo. Eu prefiro outras maneiras, mas isso é muito pessoal e cada um tem um motivo. Eu, particularmente, não gosto das drogas por vários motivos que não cabem aqui.   Outras pessoas gostam do orgasmo e pode ser a sensação mais louca que experimentamos por ser um momento de relaxamento, queda da pressão arterial e também a redução, temporária, das atividades da parte do cérebro responsável pela razão. O lado negativo é que tem várias pessoas que não conseguem alcançá-lo frequentemente nem com companhia, nem sozinho.   Há outras maneiras de alterar o estado de consciência, como a meditação e a yoga, se forem feitas pra valer. Deve existir alguma outra forma de... ler mais

Ser mais brasileiro é se expressar melhor em português

Quem disse que falar uma língua faz as pessoas mais patriotas? Num mundo tão globalizado como o de hoje as pessoas gostam de falar mais de um idioma, conhecer outras culturas e isso enriquece a nossa. Nem todo mundo que fala inglês quer se inglês ou americano. Só que saber é com certeza é um grande passo para conseguirem se entender com os outros. Uma língua no mundo tem que ser mais conhecida, mais “universal” e por acaso foi o inglês. É a maneira mais fácil de tentarmos conhecer pessoas do mundo inteiro, várias pessoas de todas as partes do mundo falam inglês. Outras várias no mundo falam espanhol, francês. Conseguimos encontrar em um único hostel (albergue) em Buenos Aires pessoas que falam português, alemão, espanhol, inglês, hebraico… Mas se todos esses falarem inglês, conhecemos um pouco de cada cultura do mundo inteiro. E o mundo, meus caros, é um só e é nosso. Nunca nos prejudicamos em dizer sem exageros alguma palavra estrangeira, só enriquece o texto, deixando com outra aparência. Uma vez escrevi “affaires” no sentido de “casos amorosos”, mas se eu escrevesse em português, poderia soar um pouco vulgar pela cultura brasileira e as pessoas podiam me interpretar mal. Confesso que não é todo mundo que entende todas essas palavras, mas não há empecilho algum em explicar, depois que ela aprende o que é, passa a ser como uma palavra nova de nossa língua. Lembro de quando aprendi o que era esporadicamente, achei o máximo não precisar dizer de vez em quando sempre que precisava dizer isso. E a mesma coisa acontece com palavras estrangeiras. Você... ler mais

Usuários mal educados, biblioteca barulhenta. (2)

Bagunça atrapalha quem procura tranquilidade para estudar. A biblioteca da nossa faculdade não permanece em silêncio principalmente nos horários de intervalos, saída da turma da manhã e entrada da turma da noite. “Risadas e conversas altas tiram minha concentração”, diz aluno Isaque Criscuolo, aluno de jornalismo. Isso é causado pelo grande fluxo de usuários e a impossibilidade de todas as conversas serem controladas pelos funcionários ao mesmo tempo. Em toda a biblioteca há sinalização em papel e está no regulamento oficial que deve ser feito silêncio. Quando as conversas passam do limite, o aluno é logo advertido, mas muitos deles não respeitam os avisos e, às vezes, até são mal educados com os funcionários. Quem trabalha lá diz fazer o máximo que pode. “O que falta é educação de biblioteca.”, diz atendente. Os funcionários reclamam do barulho e concordam que é ótimo quando as pessoas tentam fazer algo para mudar a situação. O objetivo de todas as bibliotecas é a leitura, pesquisa e o estudo, mas o barulho desvia esses objetivos das pessoas interessadas e onde deveria ser lugar de estudo, passa a ser uma sala de conversas, de... ler mais
Página 28 de 41« Primeira...1020...2627282930...40...Última »

ADQUIRA O CD >>CLIQUE AQUI<<

lancarassim

 

 

 

 

 

Confira a playlist do CD e COMPARTILHE:

Sou escritora, terapeuta holística, facilitadora de processos de autoconhecimento e estou colocando “Ritmo” em meus escritos (Poesias) e fazendo um RaP disso tudo, um rap no estilo “zen vergonha”, risos.

Eu amo escrever e compartilho meus processos de evolução para que as pessoas se sintam inspiradas a correrem atrás de seus próprios sonhos.  Quando eu escrevo, exponho meu ponto de vista. Minha leitora ou meu leitor não necessariamente concorda comigo e, na verdade, concordar ou não é o que menos me importa.

Quando escrevo, estou fazendo uma terapia. Estou tirando algumas conclusões de assuntos que muitas vezes são inconclusivos. Conclusões essas que posso expandir ou até mudar a partir de uma nova informação ou experiência. Quando escrevo, estou racionalizando meus processos de autoconhecimento e conhecimento do mundo.

Quando eu disponibilizo o que estou escrevendo para que as outras pessoas possam ler, minha intenção é que, se sentirem no coração, reflitam sobre e tirem suas conclusões pelas próprias experiências!

Como terapeuta e facilitadora de processos de autoconhecimento, sou praticante da técnica de cura energética ThetaHealing e criei uma Oficina de Autoconhecimento. Essa Oficina tem uma metodologia exclusiva porque é do meu coração para o coração de vocês, eu mesma desenvolvi a partir de estudos de comunicação (sou formada em Jornalismo), cura energética e reprogramação mental (ThetaHealing e outras técnicas) –  então é bem especial mesmo <3

Essa metodologia chamada Sistema de Gerenciamento de Questões Pessoais propõe um novo olhar sobre um “problema” (questão), com foco na *solução*.

 

Paz e Luz

Nesta categoria, você encontrará textos sobre minha experiência com a espiritualidade. Como um Ser em evolução, faço aqui as reflexões sobre como me conectar com meu Eu superior e como posso ser uma pessoa melhor no meu cotidiano com minha família, amigos, desconhecidos e nas relações profissionais.

Esta categoria é muito mais genérica e estão os textos sobre comportamento, vegetarianismo e outras reflexões sobre o meu estilo de vida ideal.

Estilo de Vida

Esta categoria é muito mais genérica e estão os textos sobre comportamento, vegetarianismo e outras reflexões sobre o meu estilo de vida ideal.

A categoria mais antiga do blog! Em Crônicas você pode ler todos meus textos cheios de aventura, romance, reflexões e, claro, muito beijo na boca. Tudo escrito com muito carinho, cada crônica escrita no tom e no ritmo que achei coerente para o tema.

A categoria mais nova do site, criada em Julho de 2015.  Segundo Aristóteles, a catarse diz respeito à purificação das almas por meio de uma descarga emocional provocada por um drama. Neste espaço exponho porque eu me sinto purificada com algumas obras artísticas, por exemplo: músicas, longas ou curtas ou artes plásticas.

Catarses

A categoria mais nova do site, criada em Julho de 2015.  Segundo Aristóteles, a catarse diz respeito à purificação das almas por meio de uma descarga emocional provocada por um drama. Neste espaço exponho porque eu me sinto purificada com algumas obras artísticas, por exemplo: músicas, longas ou curtas ou artes plásticas.

Em Matérias, publico os textos jornalísticos que produzo de forma independente e livre. Os temas são os mais diversos, inspirados nos últimos acontecimentos ou de temas que são relevantes para mim. Alguns materiais são da época da faculdade em que guardo com muito carinho toda aprendizagem dessa importante fase da minha vida.

Essa categoria foi criada após eu conhecer o campo da manipulação de energia com o objetivo de curar minhas feridas emocionais e fisicas, sanando-as e desobstruindo meus centros de energia para que eu possa cumprir minha missão de forma mais saudável, feliz, em paz e com gratidão. Aqui compartilho o que aprendo.


Gabriela Pagliuca

aka/vulgo Gabitopia

Sou artista e facilito processo de autoconsciência. Alimento o Gabitopia, esse blog, há mais de 11 anos. Estudei e sigo estudando comunicação, facilitação de grupos e técnicas de cura a partir de manipulação de energia (holística).

Meu blog é onde está quase todo meu trabalho como escritora, para saber mais clique aqui. Para saber mais do meu trabalho como facilitadora de processos de autoconhecimento, acesse aqui.

Meu propósito é amar, dar amor e estar em paz. Aqui é meu lar virtual, uma ferramenta para eu cumprir meu papel!

Gosta do Gabitopia?

Faça uma Contribuição Voluntária

Para apoiar o Gabitopia e meu trabalho de forma geral, você pode contribuir no botão abaixo, com o valor que quiser. Se quiser fazer uma contribuição voluntária ou parceria recorrente (mensal, semestral, etc), entre em contato no gabitopia@gmail.com que podemos conversar melhor.

Agradeço muito a todos que já me apoiam, pois sem esse apoio não conseguiria!

Envie uma mensagem preenchendo o formulário:

gabitopia@gmail.com

w

(13) 981310537

whatsapp