Imperfeição

Foto: Gabriela Pagliuca Não aguento mais essa pressão,   pessoas me julgando por fora e não por dentro e ainda dando sugestões.   Não aguento mais esse clichê de que “ninguém me ama”, “ninguém me quer”, “sou diferente”   se eu digo isso é por que eu me sinto realmente   não é pra me SENTIR assim,   mas hoje eu me sinto igual a tantas por aí,   eu estou crescendo e se não conseguem me acompanhar   eu só preciso me liga pra numa vida errada   não acaba entrando e seguir o que eu acredito…   Não quero mais ouvir as pessoas me dizendo pra tomar juízo, sei tomar conta de mim, sei o que é bom pra mim,   não importa a fama que me taxam, não vou mudar pra ser   aceita num grupo que eu nem ao menos quero estar…   tenho me importado com meu caráter, pois ele mostra   o que sou de verdade e não o que querem que eu seja.   Já não me importo mais com pessoas duvidando do que sinto, dizendo que eu minto, estou vivendo minha vida,   sou só uma menininha, ainda tenho muito que aprender,   vocês podem me seguir e tentar me entender,   mas se não conseguir paramos por aqui,   daqui uns anos te alcanço e voltaremos de onde paramos.   Pode não parecer, mas isso é sim um protesto cuzão, não curtiu então alguma sugestão?   Sou só uma garota e não devia ta falando palavrão,   mas isso é liberdade de expressão,   não tenho um estilo definido  ... ler mais

sem nome um

Foto: Gabriela Pagliuca eu sou mais do que posso ser, eu sou bem mais do que eu pareço ser, eu sou mais que eu achava que consiguia ser, sou mais do que eu aparento ser. não sou poeta nem revolucionária, não sou a poesia nem sei rimar, não sou perfeita, mas sou romântica, e uma romântica que se orgulha do que faz. não estou esperando que me entendam, estou esperando respeito, não me venha cobrar o que eu não sou capaz, sei até onde posso ou não chegar. Deixem que falem besteiras, sobre besteiras ditas por você, não se importe com essas besteiras, mesmo não sendo besteiras pra você se essas besteiras te fazem seu  caráter e se são o que você acredita. Já passei da fase de me importar  com aqueles que cobram sem poder ao menos fazer. Você cresce e muda sua opinião, se permite ter novas informações, não seja conformado num mundo  em que você não pertence, nem tente viver num mundo que aparenta  ser de rosas e nuvens brancas! Pare de tomar conta da minha vida, arrume alguma coisa pra fazer, dance! pule! mude o mundo! você pode! deixa a música ser cantada. faça a sua parte  que a música faz a... ler mais

Qual o sentido da tristeza?

Qual o sentido da tristeza? É aprender com os erros que cometemos pensar que tudo tem um jeito, que ninguém é perfeito e que tudo pode mudar… E que tudo VAI mudar.   Não pensar que tudo está perdido e que sempre há uma maneira de reverter, é aí que a gente enxerga que a vida é simples demais e somos nós que a complicamos. Ou que o sentido não é o que a gente sempre achou e sim o contrário disso. Quando estamos felizes, nunca paramos pra pensar nos problemas e agimos como se o mundo fosse perfeito, mas quando estamos tristes, nunca pensamos que a felicidade pode chegar. Uma amiga um dia me disse uma coisa muito legal, que era mais ou menos assim: podemos não estar nesse mundo pra fazer coisas grandes e sim para aprender as lições da vida. E essas lições servirão para outras vidas. Só por que estamos felizes não podemos esquecer de Deus e de agradecê-lo. Sempre deveríamos pensar em coisas felizes para que essa felicidade de multiplicasse, e quando estamos triste deveríamos pensar sempre em coisas felizes, e nada de adiantar a única certeza que temos em nossa vida! Se você tenta mudar, mas o mudo dá as costas pra você, comece a brilhar mais e mais até ele perceber que você está lá e finalmente virar de frente pra você! “Hakuna Matata!”. E todos cometem erros, alguns irreversíveis, mas depois que um “pinguinho de tinta cair num pedacinho azul do papel” podemos transformar a imagem cinza em um dia alegre e colorido, por que às vezes os erros são melhores... ler mais

Abraçar

Foto: Gabriela Pagliuca Seis e quarenta da manhã, eu saía de casa como quase todos os dias, meio distraído, pensando nos acontecimentos da última semana. Foi enquanto eu brincava com a chave do portão em minhas mãos que eu a percebi. Linda, ruiva, um terço da sua perna aparecendo por causa de sua bermuda, uma camiseta da nossa banda preferida, em sua orelha direita, a que dava pra enxergar, duas argolinhas iguais, suas unhas estavam pretas e feitas, lindas como sempre. Demorou um momento pra ela me perceber ali parado atrás do portão, ela estava chorando com sua agenda aberta no dia do aniversário dele. Quando me viu, colocou a foto dele dentro da agenda e a fechou, a colocou em cima de sua mochila vermelha, levantou e colocou uma carta com a letra dele dentro do bolso da bermuda.  Veio até mim, com seu all star vermelho sem meia, seus cabelos lisos presos em marias-chiquinhas, ela era baixa, então, ficou nas pontas dos pés e me deu um abraço. Pude sentir aquele perfume só dela, suas mãos macias em volta do meu pescoço, tudo passou muito rápido, mas pra mim não, parecia uma eternidade, meu tempo parou e só voltei em mim quando senti uma lágrima dela molhando meu ombro, mas continuou aquele abraço tão aconchegante.  Ela tinha completado dezoito anos fazia três dias, estava quase terminando o colegial, estudava na escola desde a quinta série, ela adorava ir pra escola, todos seus amigos estavam lá, mas agora ela nem se importava com sua formatura ou vestibular.  Ela estava linda, mais linda do que todos os dias desde... ler mais
Congraçando

Congraçando

Estava sentada num banco de plástico, esperando por minha mini-pizza de mussarela quentinha, com minhas unhas roídas e óculos fundo de garrafa, falando com dona Maria, a mulher da pizza, sobre o calor do dia, entre meu escritório, de um lado da rua, e uma escola de desenho no outro lado. Deparei, então, com uma menina, com seus 16 anos, ruiva, com o cabelo solto que brilhava com o sol forte, óculos de sol, lindo sorriso, magra, baixa, com uniforme de uma escola, cortada na gola e na barra, com a calça de moletom baixa aparecendo suas covinhas nas costas, colares e pulseiras, munhequeira e um all star vermelho, ela estava andando naquela rua pouco movimentada de um lado pro outro, pisando nas folhas secas do chão, então um menino saiu da escola de arte, ela o chamou e tirou os óculos e minha pizza chegou. O menino tinha, talvez, um ou dois anos a mais que ela, cabelos muito lisos e pretos, bem penteado, uma camiseta verde um pouco mais escura que seus olhos, bem arrumado, com roupas legais e tênis. Ele não sorriu quando a viu, ele disse que precisava ir embora, mas que ele tinha gostado de vê-la, disse pra voltar outro dia para eles conversarem melhor. Ela se sentou no meio fio e pediu cinco minutos para ela tentar entender o que estava acontecendo e ele se sentou ao seu lado. Ele pediu desculpas e disse que não poderiam se ver mais, ela que estava abraçando seus joelhos e de cabeça baixa, levando seus olhos verdes furiosos, aliás, essa era a única semelhança externa que... ler mais

Como tomar decisões certas? (versão curta)

(versão original) Depois que as redes sociais passaram a dar a opção de colocar em religião um “tenho um lado espiritual independente de religiões” (Orkut), comecei a usar essa definição, pois foi mais ou menos quando abandonei meu rótulo de católica. Esse lado me faz questionar o que é certo e o que é errado, de acordo com as leis do homem e de Deus. Não que religião seja ruim, mas gosto de me sentir livre para acreditar no que quiser. Não gosto de ser obrigada a acreditar em algo pré-estabelecido se para mim não fizer sentido. Liberdade me encanta. E como eu gosto dela, comecei a questionar: liberdade é fazer tudo o que queremos, sem pensar em mais nada? Será? Como tomar decisões certas? Nossa sociedade está cheia de tabus, crenças e principalmente julgamentos que não fazem sentido, pra mim. Há muitas atitudes que tomamos e que não faz mal pra ninguém, mas a sociedade julga. E a religião ajuda muito isso. Não todas e nem todos os religiosos, mas alguns que incomodam por muitos. Muita gente que vive aparentemente sob regras divinas, mas por dentro estão cheias de ódio, rancor, raiva, infelicidade, inveja… É isso que Deus quer? Tudo o que acredito é que o que vale é nosso coração e nossas intenções. Não importa se parece boa intenção, Aquele que nos vai julgar (seja qual for sua crença) não se importa com aparências. Deus só se importa se você é bom ou ruim, lá no fundo do seu coração. O que é certo e o que é errado? Como devo agir? Como você achar que é... ler mais
Página 37 de 37« Primeira...102030...3334353637

Confira meu Single A Resistência das Minas

 

Sou escritora, terapeuta holística, facilitadora de processos de autoconhecimento e estou colocando “Ritmo” em meus escritos (Poesias) e fazendo um RaP disso tudo, um rap no estilo “zen vergonha”, risos.

Eu amo escrever e compartilho meus processos de evolução para que as pessoas se sintam inspiradas a correrem atrás de seus próprios sonhos.  Quando eu escrevo, exponho meu ponto de vista. Minha leitora ou meu leitor não necessariamente concorda comigo e, na verdade, concordar ou não é o que menos me importa.

Quando escrevo, estou fazendo uma terapia. Estou tirando algumas conclusões de assuntos que muitas vezes são inconclusivos. Conclusões essas que posso expandir ou até mudar a partir de uma nova informação ou experiência. Quando escrevo, estou racionalizando meus processos de autoconhecimento e conhecimento do mundo.

Quando eu disponibilizo o que estou escrevendo para que as outras pessoas possam ler, minha intenção é que, se sentirem no coração, reflitam sobre e tirem suas conclusões pelas próprias experiências!

Como terapeuta e facilitadora de processos de autoconhecimento, sou praticante da técnica de cura energética ThetaHealing e criei uma Oficina de Autoconhecimento. Essa Oficina tem uma metodologia exclusiva porque é do meu coração para o coração de vocês, eu mesma desenvolvi a partir de estudos de comunicação (sou formada em Jornalismo), cura energética e reprogramação mental (ThetaHealing e outras técnicas) –  então é bem especial mesmo <3

Essa metodologia chamada Sistema de Gerenciamento de Questões Pessoais propõe um novo olhar sobre um “problema” (questão), com foco na *solução*.

Estou produzindo meu primeiro álbum de música como Gabitopia e logo tratei novidades <3

 

Paz e Luz

Nesta categoria, você encontrará textos sobre minha experiência com a espiritualidade. Como um Ser em evolução, faço aqui as reflexões sobre como me conectar com meu Eu superior e como posso ser uma pessoa melhor no meu cotidiano com minha família, amigos, desconhecidos e nas relações profissionais.

Esta categoria é muito mais genérica e estão os textos sobre comportamento, vegetarianismo e outras reflexões sobre o meu estilo de vida ideal.
Estilo de Vida

Esta categoria é muito mais genérica e estão os textos sobre comportamento, vegetarianismo e outras reflexões sobre o meu estilo de vida ideal.

A categoria mais antiga do blog! Em Crônicas você pode ler todos meus textos cheios de aventura, romance, reflexões e, claro, muito beijo na boca. Tudo escrito com muito carinho, cada crônica escrita no tom e no ritmo que achei coerente para o tema.

A categoria mais nova do site, criada em Julho de 2015.  Segundo Aristóteles, a catarse diz respeito à purificação das almas por meio de uma descarga emocional provocada por um drama. Neste espaço exponho porque eu me sinto purificada com algumas obras artísticas, por exemplo: músicas, longas ou curtas ou artes plásticas.
Catarses

A categoria mais nova do site, criada em Julho de 2015.  Segundo Aristóteles, a catarse diz respeito à purificação das almas por meio de uma descarga emocional provocada por um drama. Neste espaço exponho porque eu me sinto purificada com algumas obras artísticas, por exemplo: músicas, longas ou curtas ou artes plásticas.

Em Matérias, publico os textos jornalísticos que produzo de forma independente e livre. Os temas são os mais diversos, inspirados nos últimos acontecimentos ou de temas que são relevantes para mim. Alguns materiais são da época da faculdade em que guardo com muito carinho toda aprendizagem dessa importante fase da minha vida.

Essa categoria foi criada após eu conhecer o campo da manipulação de energia com o objetivo de curar minhas feridas emocionais e fisicas, sanando-as e desobstruindo meus centros de energia para que eu possa cumprir minha missão de forma mais saudável, feliz, em paz e com gratidão. Aqui compartilho o que aprendo.

Gabriela Pagliuca

aka/vulgo Gabitopia

Sou artista e facilito processo de autoconsciência. Alimento o Gabitopia, esse blog, há mais de 11 anos. Estudei e sigo estudando comunicação, facilitação de grupos e técnicas de cura a partir de manipulação de energia (holística).

Meu blog é onde está quase todo meu trabalho como escritora, para saber mais clique aqui. Para saber mais do meu trabalho como facilitadora de processos de autoconhecimento, acesse aqui.

Meu propósito é amar, dar amor e estar em paz. Aqui é meu lar virtual, uma ferramenta para eu cumprir meu papel!

Gosta do Gabitopia?

Faça uma Contribuição Voluntária

Para apoiar o Gabitopia e meu trabalho de forma geral, você pode contribuir no botão abaixo, com o valor que quiser. Se quiser fazer uma contribuição voluntária ou parceria recorrente (mensal, semestral, etc), entre em contato no gabitopia@gmail.com que podemos conversar melhor.

Agradeço muito a todos que já me apoiam, pois sem esse apoio não conseguiria!

Envie uma mensagem preenchendo o formulário:

gabitopia@gmail.com

w

(13) 981310537

whatsapp