Em Matérias, publico os textos jornalísticos que produzo de forma independente e livre. Os temas são os mais diversos, inspirados nos últimos acontecimentos ou de temas que são relevantes para mim. Alguns materiais são da época da faculdade em que guardo com muito carinho toda aprendizagem dessa importante fase da minha vida.

Precisamos falar sobre licenciamento ambiental

Esse artigo foi publicado dia 27 de novembro no site e facebook do Maramar.   Todos nós sabemos que o descaso com territórios naturais, cheios de vida, gente e histórias, está enraizado no Brasil desde que os portugueses avistaram Monte Pascoal, no litoral sul da Bahia. É uma questão histórica de exploração. Passaram-se 515 anos e nada mudou: ouro ainda é mais importante que vidas. Precisamos falar sobre a aprovação do Projeto de Lei 654/2015, de Romero Jucá (PMDB-RR), que flexibiliza o processo de licenciamento ambiental, e como isso afeta a realidade de todos nós. Há três semanas, aconteceu o maior desastre ambiental da história recente do País, o rompimento das barragens de rejeitos de mineração da empresa Samarco em Mariana, Minas Gerais. Agora, querem diminuir os prazos e as exigências para acelerar o processo de licenciamento ambiental de grandes empreendimentos. Acelerar e desqualificar um processo que já é insuficiente e falho, que não consegue evitar desastres como o causado pela Samarco/Vale. O Instituto Maramar, por meio da Iniciativa para a Governança Ambiental (Programa Ingá), monitora territórios costeiros e acompanha processos de licenciamento ambiental de diversos empreendimentos na região. Atuamos dentro dos processos fazendo sugestões de complementações de estudos e fazendo outras manifestações, colaborando tecnicamente com os órgãos licenciadores e oferecendo insumos para o Estado exigir mais dos solicitantes. Mesmo com tantas vitórias em nosso portfólio, a maioria das vezes o processo burocrático nos engole. Vemos todos os dias nossos companheiros de batalha, moradores e trabalhadores de comunidades tradicionais da região, sendo prejudicados por um ou mais empreendimentos que não consideram a presença daquele povo ou do ambiente natural para darem...

Jantar com a família diminui o risco de envolvimento com drogas entre os jovens.

         Um estudo mostra que os adolescentes que jantam com mais frequência com os pais têm menos risco de fumar maconha, tabaco e consumir álcool. O estudo foi realizado pelo Centro Nacional de Dependência e Abuso de Substâncias da Universidade de Columbia (CASA) e aqui tem um artigo em inglês Family Dinners Reduce Teen Drug Use que vocês podem também dar uma olhada para saber mais.         De acordo com essa reportagem sobre a pesquisa, mais uma vez se provou que manter o diálogo com nossos pais é a melhor maneira de eles nos ajudarem a mostrar o caminho certo. As vezes pode ser um pouco entediante e queremos fazer nosso próprio horário e planos, mas a verdade é que eles, geralmente, são bons orientadores pelo simples fato de quererem nosso bem.          “A mensagem para os pais não pode ser mais clara, com o aumento de americanos de 12 anos ou mais usando drogas, é mais importante que nunca sentar para jantar e conversar com seus filhos sobre suas vidas, seus amigos, escola. Apenas conversar”, diz a diretora de marketing da insituição que foi feita a pesquisa, Kathleen Ferrigno… Meu objetivo aqui é aconselhar que você contribua para que esses jantares aconteçam, não custa nada tentar e pode ser muito...

A imprensa espanhola baseada na entrevista com Josu Mezo

     Conversei com o espanhol Josu Mezo, editor do blog Mala Prensa (em espanhol) e descobri coisas interessantes sobre a imprensa espanhola. Se nós tentarmos, conseguiremos melhorar a imprensa no nosso país. Leia e aproveite as dicas do professor. Quem é Josu Mezo? Ele é licenciado em direito, mestre em ciências sociais, doutor em ciências políticas e professor na Universidad de Castilla-La Mancha, em Toledo, Espanha. Em 2004, criou sua página web para o público que se interessasse por atualidades, notícias, informações, meios de comunicação. De lá pra cá, foi percebendo que quem lê e participa mais ativamente são jornalistas ou pessoas relacionadas profissionalmente aos meios de comunicação. Sobre o blog O blog comenta e denuncia erros que o editor e seus colaboradores encontram ao ler um jornal ou ao assistir um noticiário. A ideia surgiu, de acordo com a descrição da página, por uma obsessão pessoal, que compartilhava com seus amigos, sobre a baixa qualidade da imprensa. Mas não aquela qualidade inferior relacionada à manipulação proposital motivados pela política. Mas sim aqueles erros que os jornalistas não percebem por ignorância, a falta de tempo ou recursos, pela maneira do sistema de produção ou como estão organizados seus meios. Seu blog é composto por detalhes. Pequenos erros da imprensa que dão menos credibilidade ao que deveria ser um serviço público. Manipulação proposital e erros que não deveriam existir Ele me disse que a manipulação proposital é um tema muito discutido e, ele espera, que a maioria das pessoas tem consciência dela. Esse tipo de erro é realmente muito grave e existe muito. Mas há também outros erros importantes, como os que ele aponta...

Hipocrisia, homobofia e (falta de) bom senso no julgamento.

Jovem de 18 anos é preso por beijar garoto de 13 em cinema de shopping   De acordo com lei, o simples fato de um maior de idade beijar um menor de 14 anos está cometendo um crime, o de estupro. Ainda que o menor tenha consentido porque ele não pode responder pelos seus atos. Agora o estudante é criminoso por beijar um menor de idade… Ou será que todo escândalo gira em torno do fato de se tratar de dois homens?   Quando Ana Borges* (22) tinha 13 anos, era uma criança, em contrapartida, suas amigas eram todas ‘mocinhas’. Ana não ficava com meninos mais velhos, suas amigas sim. Ela se considerou “criançona” até seus 18 anos. Segundo ela, depois que entrou na faculdade que começou a amadurecer. Mas suas amigas que eram desenvolvidas não viam problema em sair com caras mais velhos, incluindo maiores de idade. Como a menina amadurece mais rápido que o menino, elas não queriam ficar com meninos mais novos, por serem infantis. Ainda assim, a idade é a mesma “13 e 18”.   O estudante de 18 anos foi preso e, de acordo com essa matéria, acusado de estupro, pode pegar 14 anos de prisão. O rapaz agora é um criminoso. Estuprou o menino quando o beijou no cinema do shopping. Não foi no carro em um terreno baldio e a força, foi em lugar público e com o consentimento do menor. De acordo com a discussão que eu vi no Orkut, o maior foi acusado de estar cometendo ato libertinoso com um menor de 14 anos, que não responde pelos seus atos. E as meninas de essa...

O Museu da História Americana

         Nos Estados Unidos antes da Revolução Industrial existia uma classe de trabalhadores que atuava na rua, como ambulante. O país teve também escravos até 1865, até a Guerra Civil, entre o norte e o sul do país, o primeiro queria que liberdade para os escravos e o último não queria. O norte conseguiu seu objetivo e escravos foram libertados.          O país de Barack Obama foi construído pelos negros enquanto os brancos só ficavam sentados contando o dinheiro, ruim pra sociedade, mas bom para economia. Assim como no Brasil, os negros depois de livres, sofreram muito preconceito, e até hoje sofrem, mas eram eles que sabiam fazer realmente acontecer, fazer o trabalho duro.          Minha professora de inglês nos levou para o National Museum of American History (Museu Nacional da História Americana), onde eu aprendi um pouco disso que acabei de contar. Um museu de entrada franca, financiado pelo governo, com seções variadas: cultura popular, como cinema, televisão e música; uma seção destinada aos presidentes e outra para as primeiras damas; sobre tudo de tecnologia; uma bem grande sobre todas as guerras etc.          Na parte da cultura popular havia verdadeiros tesouros da história, como o sapato de Dorothy, do musical O Mágico de Oz; a roupa do personagem Rafik, macaco padrinho do Simba, no musical O Rei Leão; desenhos originais do Looney Tunes e logo na entrada, esse Dumbo bem grande da foto ao lado.         Tem um espaço, quase um andar inteiro, dedicado à parte científica dos Estados Unidos: biologia, tecnologia, geografia, energia atômica, química em geral…...

Por trás das cortinas de espetáculos teatrais.

                    Quando a gente assiste a uma peça de teatro muitas vezes passa pela nossa cabeça como é o outro lado, como foi a preparação, como os atores se sentem, não é? Eu fiquei pensando nisso e conversei com alguns estudantes de teatro, em São Paulo, na véspera da estreia da primeira montagem de suas carreiras.                     O nervosismo era nítido em todos os rostos, além de ser a estreia da peça, era a primeira vez que apresentavam um espetáculo para a maioria dali. Ouviam-se desabafos da noite sem dormir ou mal dormida por causa de pesadelos, por exemplo, mas tirando isso, os comentários eram positivos e confiantes. Eles trabalharam o semestre inteiro e conseguiram aplausos de pé – e realmente merecidos.                     O maior desafio para a estudante Kuthy Aguiar, 35, era entrar no personagem e conseguir manter a calma na hora da apresentação. Uma opinião não muito diferente de seu colega Fernando Moraes, 15: “ter concentração suficiente, na hora que dá um nervoso, para vivenciar o personagem“, em compensação, para ele, no momento vem a emoção e tudo sai com naturalidade, sem pensar.                     O ambiente é de amizade, e cooperação – gostaria que servisse de exemplo para o resto do mundo –  tanto que para Kuthy a parte mais fácil do processo é a convivência com as pessoas.                     De acordo com os estudantes, não houve muito tempo de ensaio e a principal preparação foi a de cada personagem. É necessário conhecer, cada um, o passado, a idade, como pensava, como agia e a época que vivia o personagem que interpreta. Só depois que cada um...

Legalização dos imigrantes em situação irregular

         Um dos motivos de eu gostar de sair com amigos é que sempre aparece um assunto interessante. Ontem minha cunhada me convidou para fazer parte de um mutirão para ajudar os imigrantes ilegais, que vivem situações desumanas, para colocar em prática a nova lei da anistia.           De acordo com o site da Polícia Federal, a nova lei de anistia faz com que todos os estrangeiros que chegaram no Brasil até dia 1º de fevereiro desse ano com situação irregular, sejam legalizados. O prazo vai até 30 de dezembro. Ainda de acordo com o site: “Os beneficiados terão direito à liberdade de circulação em território nacional, pleno acesso ao trabalho remunerado, à educação, à saúde pública e à justiça”. A polêmica Algumas pessoas são contra essa legalização porque está tirando o emprego dos brasileiros; porque se nem para os brasileiros há emprego e vida digna, não vai ter para estrangeiro; isso pode fazer cada vez mais estrangeiros se mudar para cá; e outros motivos contra. Por outro lado, há quem diz que mesmo o Brasil não sendo o país dessas pessoas, tendo ou não direito de ficar, essas pessoas são seres humanos e estão vivendo como escravos e acreditam que isso não é certo. A questão é: é fato há imigrantes ilegais e vivendo em situações deprimentes. Quais são as opções? Tirá-los do país. Legalizá-los. Ignorar a situação. Se a legalização vai ajuá-los a sair dessa, se vai tirar empregos dos brasileiros, se vai incentivar a vinda de mais estrangeiros para cá, isso eu não sei… talvez, não, sim… o importante é...

Gabi fala com Bernardo Falcone

Em busca de mais novidades para os leitores do meu blog, consegui conversar com o (fofíssimo) Bernardo Falcone, que representa Fred, um dos personagens principais e mais lindos de Quando Toca o Sino do Disney Channel (para quem acompanha não acha lindo a Bela e o Fred? _o/ eu acho!). Bernardo Falcone tem 26 anos, é ator, cantor, lindo, e… com tantas qualidades, eu pensei que ele podia ter visão laser também, mas, para minha decepção, ele disse que não. “(risos) Não tenho visão laser, mas consigo me teletransportar. Tô brincando.” Sobre o que ele faz, disse: “Eu sou muito ligado a artes, gosto de escrever, compor, mas isso eu guardo pra mim, deixo pra ler daqui a alguns anos.” Acho que os fãs iam amar ler, mas tudo bem, vamos respeitar a privacidade do nosso ídolo lindo! Para ele, a diferença entre trabalhar no Disney Channel e em um canal aberto é o direcionamento da comunicação e o público bem definido: “A gente sabe pra quem está falando e, por isso, sabe como falar ou pelo menos, é o objetivo que buscamos. E o público do Disney Channel é um público muito fiel, exigente e antenado. Por isso temos que ficar espertos o tempo inteiro.”, quem discorda? Eu não! Apesar de adorar crianças, dificilmente está no meio delas, além disso, quando perguntei se ele era muito reconhecido na rua, ele respondeu: “Depende. Eu sou muito diferente de como apareço na TV. Sou mais ‘largadão’, ando com a barba por fazer…”, então, pessoal, vamos prestar mais atenção nesses detalhes (brincadeirinha)! Quando eu, Gabi, converso com as pessoas sobre sensações...

Zoológico de São Paulo e os animais!

Para mim, um domingo de sol se resume em praia ou tédio, mas no domingo passado, fui convidada para um passeio para o Parque Zoológico de São Paulo. Confesso que resisti um pouco por saber que encontraria os animais que tanto amo presos e infelizes, mas concordei em troca dessa matéria. Abrir os horizontes. Acordei cedinho e fui. O parque abre às 9h, o valor é de 14 reais a inteira (estudante paga meia). Tem 900.000 m² e a maior parte é coberta pela Mata Atlântica, um lago muito grande onde ficam alguns animais aquáticos. Além dos animais e muita vegetação, o parque tem lanchonetes e espaços para pique-nique. Um ótimo passeio para famílias preocupadas com o lazer das crianças, com respirar mais ar puro e sair da rotina. Conversando com um visitante, Thiago Lima, ele disse com o que se surpreeende “a natureza, animais, verde…” Mapa do parque Programas de consciência ambiental estão espalhados por todos os lados, por exemplo: logo na entrada tem uma placa bem grande com a frase “se liga na cor, jogue lixo no coletor” e essas mensagens se estendem pelo resto do parque. No meio do zoológico, também, há um espaço para as crianças aprenderem um pouco mais sobre ecologia, um programa do governo de São Paulo “Criança Ecológica”. Coleta Seletiva dentro do parque, uma de várias espalhadas. Conversei com uma senhorinha que disse ser “bicho do mato” e por isso não deixou que eu gravasse a entrevista. Era sua primeira vez no parque e o urso lhe chamou mais atenção. Thiago, que estava na fila para ver a parte dos sangues-frio, a...

Novidades!

E ai fãs da Nick e do Disney Channel! Quem está louco para ver novidades nos nossos canais preferidos? _o/ Todo mundo tá sabendo do filme Disney Channel que estreiou na semana passada, com a Demi Lovato e a Selena Gomez, não é?! Bom, esse filme está rolando dentro da programação, então fiquem ligados! Amanhã, dia 31, vai estreiar a série Jonas e vai ser de arrepiar. Os Jonas estão na série sobre eles mesmos, só que sem serem eles. Até o irmãozinho mais novo deles, o Frankie, está na trama! Dia 9 de agosto estreia um dos filmes mais fofos da Disney: Pinocchio! É um dos filmes mais lindos do mundo, é um clássico. E depois que estreiar, vai passar direto, na sessão de filmes. Está rolando também na programação a nova temporada de Phineas e Ferb!! No Disney XD está rolando direto as Crônicas de Narnia e o filme Piratas do Caribe – O Baú da Morte, Carros, O Bicho Vai Pegar… Pra falar a verdade, tudo é novidade no Disney XD, já que não é um canal antigo. Ele estreio no dia 3 de julho substituindo o Jetix. Novas séries e desenhos; séries e desenhos que já passavam, muitos filmes! E tudo com muita radicalidade e adrenalina! Na Nick, está rolando o Spectacular na programação. Os Naked Brothers Band vão estreiar um filme com a Miranda Cosgrove (de iCarly) no dia 6 de agosto, as 20h!! “VOTE SEEMM PARAR!” Quem está morrendo de vontade de ir a entrega dos Meus Prêmios Nick desse ano? Nossa, eu queria MUITO! Então eu me cadastrei e respondi a pergunta...

Vegetarianismo nos restaurantes

Todos já podem se alimentar bem e com qualidade quando saem de casa No horário de pico nos shoppings mais famosos da cidade de São Paulo, você pode precisar pedir, para conseguir um lugar: “com licença, senhor (a), posso sentar com você nessa mesa?” Isso porque as praças de alimentação lotam com trabalhadores e estudantes que precisam almoçar por perto do trabalho ou escola/faculdade. Para lidar com isso, os restaurantes procuram ser cada vez mais diversificados, saudáveis e naturais, e acabam ajudando os vegetarianos a se alimentar bem. Essa comunidade cresce muito e por motivos variados, seguindo doutrinas distintas. Os estabelecimentos dispõem de uma variedade de escolhas permitindo que os clientes montem seus próprios pratos. Dessa maneira, seus cardápios não ficam limitados a pratos prontos, possibilitando uma imensa diversidade, além de poder se alimentar corretamente, os shoppings dispõem de muitas franquias que podem ser confiáveis pela sua tradição, organização e higiene. Em shoppings, com suas praças de alimentação recheadas de restaurantes fast-food, os vegetarianos têm poucas opções, mas não são inexistentes. O que o cliente precisa fazer é não só procurar um lugar que tenha variedade de vegetais, queijos e outros alimentos que possam comer, mas também uma higiene mais consciente para com os produtos, não misturando ingredientes e nem mesmo utensílios. “A cada troca de tarefas o funcionário deveria mudar a luva plástica, o que nem sempre acontece” diz a nutricionista Fabiana do Rego. “Por exemplo, se o funcionário está fazendo o sanduíche e vai pegar o prato descartável dentro de uma embalagem, ele deve trocar a luva ao voltar pro sanduíche, se não a luva vai estar...

Interatividade

O rádio é interativo? Bom, é e não é. Não há como dizer que o rádio é 100% interativo já que a interatividade só existe mesmo na internet, onde os internautas podem deixar comentários e ler o que outros deixaram. Com o rádio a coisa não é assim. Não estamos falando do site da tal rádio, porque aí a mídia já não é mais rádio, é internet. Estou falando do rádio no rádio mesmo. Interatividade é quando os ouvintes e a rádio se comunicam: uma ligação do espectador que entra no ar ou um SMS ou email lido com a assinatura do ouvinte para dar informação de trânsito ou de qualquer outra coisa… Isso é interatividade. Mas, além disso, não há como interagir com o rádio, a não ser que você seja um louco varrido e fale com o rádio como naquele programa “O Mundo da Lua” (TV Cultura) que a Rosa, empregada da casa, conversava com o locutor. Na Band News FM podemos entrar em contato com eles por e mail e SMS e os locutores frequentemente falam algumas mensagens no ar. Na segunda feira, 18, eu estava na Raposo Tavares e ela estava parada por causa de um acidente, eu estava ouvindo a Band News e aproveitei para testar essa interatividade. Mandei uma mensagem de texto e em alguns minutos o locutor leu parte da minha mensagem, a que era mais importante. Mais uma vez, enviei uma continuação da mensagem anterior, eles leram de novo. Apurei depois que a Band News FM recebe entre 50 a 100 mensagens por dia, e pelo o que eu escuto, a...

Vai um romance acadêmico aí?

Pode fazer parte dos temas de novelas e filmes, mas os namoros que acontecem nas salas de aulas de faculdade não são tão idealizados nem dramáticos como eles mostram. Não é tão difícil como alguém pode imaginar, mas também não é fácil, isso requer um pouco de esforço das duas pessoas. Na faculdade há pessoas novas e interessantes, o clima é favorável. Como ultimamente é mais comum ver casais que começam ficando e depois passam a namorar, na faculdade é o que acontece. Ficam numa festa, no bar depois da aula, na reunião de amigos. Com Rafael e Paola foi aos poucos. “Rolou num churrasco da sala no fim do semestre, então todo mundo viu”, disse Rafael ao questioná-lo se eles tentaram esconder. Nas férias continuaram juntos, mas não era um namoro oficial. “O rótulo namoro mesmo só aconteceu depois de dois meses”, se viam todos os dias, eram amigos “já estávamos praticamente namorando”, completa. Para Rafael, é importante saber separar as coisas, “trabalho é trabalho e namoro é namoro”, aconselha. Eles já eram do mesmo grupo de amigos e faziam trabalhos juntos, nada mudou. No começo os dois se estressavam com algo da faculdade e descontavam na pessoa mais próxima. A solução veio depois de uma conversa “resolvemos separar bem as coisas para não prejudicar o relacionamento” disse Rafa, o namoro já dura quase 2 anos. Paola Verrastro e Léo não estão mais juntos, mas eles estão na mesma classe, namoraram durante um ano e continuam amigos. Começaram apenas ficando em um churrasco num sítio, só depois de um ano começaram a namorar. Curtiam o tempo que tinham:...

Nova lei do estágio em vigor desde ano passado.

Os benefícios e malefícios das novas leis do estágio. Todo jovem tem que começar de alguma maneira. Alguns esperam conseguir o primeiro trabalho quando entram na faculdade. Eles começam a procurar por estágios, mas não é raro se preocuparem com a maneira que a função é vista: mão de obra barata e funções sem importância. “… O que não é verdade. Basta a empresa ou local que contrata dar oportunidades para o estagiário mostrar o seu potencial.” Maria Fernanda Cortez, é estudante de nutrição. Para quem não valorizava o estágio, saiba que algumas regras mudaram. Os estagiários que trabalhavam até oito horas, poderão contar com algumas horas a mais de descanso: a carga horária agora é limitada a seis horas diárias. O estudante terá mais tempo para outras atividades e tarefas, melhorando o desempenho em tudo. Os estagiários gostam e os empresários não muito. “… O estágio perderá a fama de ser um trabalho qualquer.” Alegra-se Maria Fernanda que aprova a mudança. Já Lindaura Santos, proprietária e diretora de uma escola infantil, não gostou das mudanças. “O pior são as férias das estagiárias junto com as professoras formadas.” A empresária colocou na balança e preferiu não contratá-las mais, no lugar, colocará auxiliares já formadas. Essa mudança que é motivo da preocupação de Lindaura faz agora os estagiários tirarem trinta dias a cada doze meses de trabalho. Para quem ficar menos de um ano no emprego, deverá receber férias proporcionais. A duração máxima que poderá ter um estágio é de 24 meses. Vale lembrar que algumas empresas investem na contratação definitiva quando se completa esse período. “Costumávamos pegar estagiárias e...

Ser mais brasileiro é se expressar melhor em português

Quem disse que falar uma língua faz as pessoas mais patriotas? Num mundo tão globalizado como o de hoje as pessoas gostam de falar mais de um idioma, conhecer outras culturas e isso enriquece a nossa. Nem todo mundo que fala inglês quer se inglês ou americano. Só que saber é com certeza é um grande passo para conseguirem se entender com os outros. Uma língua no mundo tem que ser mais conhecida, mais “universal” e por acaso foi o inglês. É a maneira mais fácil de tentarmos conhecer pessoas do mundo inteiro, várias pessoas de todas as partes do mundo falam inglês. Outras várias no mundo falam espanhol, francês. Conseguimos encontrar em um único hostel (albergue) em Buenos Aires pessoas que falam português, alemão, espanhol, inglês, hebraico… Mas se todos esses falarem inglês, conhecemos um pouco de cada cultura do mundo inteiro. E o mundo, meus caros, é um só e é nosso. Nunca nos prejudicamos em dizer sem exageros alguma palavra estrangeira, só enriquece o texto, deixando com outra aparência. Uma vez escrevi “affaires” no sentido de “casos amorosos”, mas se eu escrevesse em português, poderia soar um pouco vulgar pela cultura brasileira e as pessoas podiam me interpretar mal. Confesso que não é todo mundo que entende todas essas palavras, mas não há empecilho algum em explicar, depois que ela aprende o que é, passa a ser como uma palavra nova de nossa língua. Lembro de quando aprendi o que era esporadicamente, achei o máximo não precisar dizer de vez em quando sempre que precisava dizer isso. E a mesma coisa acontece com palavras estrangeiras. Você...

Usuários mal educados, biblioteca barulhenta. (2)

Bagunça atrapalha quem procura tranquilidade para estudar. A biblioteca da nossa faculdade não permanece em silêncio principalmente nos horários de intervalos, saída da turma da manhã e entrada da turma da noite. “Risadas e conversas altas tiram minha concentração”, diz aluno Isaque Criscuolo, aluno de jornalismo. Isso é causado pelo grande fluxo de usuários e a impossibilidade de todas as conversas serem controladas pelos funcionários ao mesmo tempo. Em toda a biblioteca há sinalização em papel e está no regulamento oficial que deve ser feito silêncio. Quando as conversas passam do limite, o aluno é logo advertido, mas muitos deles não respeitam os avisos e, às vezes, até são mal educados com os funcionários. Quem trabalha lá diz fazer o máximo que pode. “O que falta é educação de biblioteca.”, diz atendente. Os funcionários reclamam do barulho e concordam que é ótimo quando as pessoas tentam fazer algo para mudar a situação. O objetivo de todas as bibliotecas é a leitura, pesquisa e o estudo, mas o barulho desvia esses objetivos das pessoas interessadas e onde deveria ser lugar de estudo, passa a ser uma sala de conversas, de...

Biblioteca

Nossa biblioteca tem o ISO 9001, o que significa que adotou um padrão de normas de serviços, o que é muito bom para nós, usuários. O problema é que não adianta um atendimento e prestações de serviço excelentes se não conseguimos permanecer na biblioteca tendo que, ou suportar o barulho e bagunça ou ficar pedindo para as pessoas falarem mais baixo o tempo todo. De acordo com o Artigo 31º do capitulo XI do regulamento da biblioteca da faculdade: “A Biblioteca é um local de silêncio, para que todos tenham a oportunidade de estudar e pesquisar.”, mas não é bem isso que acontece na nossa. O artigo 31º ainda tem um complemento: “O usuário que desobedecer às normas (…) será convidado a retirar-se do recinto…” O que não é feito, com certeza. A estrutura de nossa biblioteca tem espaços que não são separados e por isso silêncio absoluto não é possível como deveria, sendo um local de estudo e pesquisa. Os funcionários que estão atendendo deveriam falar com a voz baixa suficiente para que o usuário escute e por sua vez, esse responder da mesma maneira. E os alunos entre si deviam se falar apenas o necessário e conversar isso em voz baixa. E isso não acontece e nenhuma atitude é tomada. Quando os alunos fazem barulho – o que não é só de conversa, mas todo tipo de bagunça – os funcionários deveriam se manifestar a favor do regulamento. Uma vez que um grupo faz barulho, os outros se sentem no direito de conversar da maneira que for sem se preocupar e isso só muda se uma pessoa...

Pensando Jornalismo

O principal objetivo do jornalismo é informar e essa é a forma de as pessoas saberem o que acontece no mundo. Ninguém poderia saber o que acontece em um lugar onde não está se não existisse a mídia para apurar e passar as informações mais importantes – de acordo com o que o veículo considera prioridade – para as outras pessoas. Uma boa maneira de se atualizar é lendo jornais como O Estado de São Paulo ou a Folha de São Paulo, por conter várias notícias em um lugar só. É sempre bom procurar várias fontes de informação, ao fazer isso descobrimos que se nos basearmos somente no jornalismo, por exemplo, da Rede Globo, corremos o risco de nos prender no ponto de vista do interesse deles. Não que seja exclusividade da emissora, mas ela joga com os fatos de acordo com o que quer passar para o público, principalmente em relação à política. Mesmo parecendo que fazer jornalismo é só resumir as notícias e apurar os fatos do nosso cotidiano, não é. É preciso ser muito imparcial, o que é muito difícil fazer por sermos todos humanos e querermos ter sempre opinião sobre tudo. Um fato sempre tem mais de um lado, às vezes, mais de dois, mas para fazer um bom jornalismo não devem existir interesses pessoais na notícia e que nem todos os cidadãos têm o mesmo ponto de vista que nós, tentar, ao máximo, passar a notícia por ela mesma. Agora também faço parte de:...

Bloqueio de linha de telefonia móvel.

Sempre achei interessante andar de ônibus por causa das estórias que circulam por lá. Normalmente, não presto muita atenção nos assuntos por ficar lendo e/ou ouvindo música, mas o último papo me deixou com tantas dúvidas, que escutei o máximo que pude e ele me levou ao início deste post. Uma moça jovem, aparentemente com 25 anos, conversava com uma colega, talvez um pouco mais velha: “fiquei sabendo do seu celular, que prejuízo, heim?!”. Num primeiro momento, achei que estava falando do aparelho, mas pelo o que consegui entender ao desenrolar da conversa foi o seguinte: a mulher perdeu seu celular e quando ligou para a central de atendimento querendo cancelar a conta, o consultor teria cobrado uma multa para que isso fosse feito. Como achou um absurdo o valor cobrado, resolveu deixar como estava e comprou outro celular e outra linha, mesmo pagando sem usar a perdida. Tive certeza que não mesmo estava usando a linha quando comentou: “sorte que eles não estão usando mais do que o plano, não tem vindo nada a mais para pagar.” Minha vontade era interferir na conversa dando-lhe informações. Fiquei insegura por ser enxerida e não o fiz. O que fazer num caso como o da moça? O melhor de tudo é manter-se informado (isso pode deixar comigo)! A tecnologia usada na maioria dos aparelhos é a GSM (Global System for Mobile Communications), mesmo no mercado desde os anos 80 em outros países, no Brasil, a operado Tim trouxe apenas em 2001, essa geração já é bem conhecida, mas as pessoas ainda têm algumas dúvidas. Na prática, é uma maneira segura de...
Página 1 de 212

Gabriela Pagliuca

 

Sou escritora e atendo como terapeuta holística. Alimento o Gabitopia, esse blog, há mais de 10 anos. Estudei e sigo estudando comunicação, facilitação de grupos e técnicas de cura a partir de manipulação de energia (holística).

Meu blog é onde está quase todo meu trabalho como escritora, para saber mais clique aqui. Para saber mais do meu trabalho como terapeuta, acesse aqui.

Meu propósito é amar, dar amor e estar em paz. Aqui é meu lar virtual, uma ferramenta para eu cumprir meu papel!

Gosta do Gabitopia?

Faça uma Contribuição Voluntária

Para apoiar o Gabitopia e meu trabalho de forma geral, você pode contribuir no botão abaixo, com o valor que quiser. Se quiser fazer uma contribuição voluntária ou parceria recorrente (mensal, semestral, etc), entre em contato no gabitopia@gmail.com que podemos conversar melhor.

Agradeço muito a todos que já me apoiam, pois sem esse apoio não conseguiria!

Envie uma mensagem preenchendo o formulário:

gabitopia@gmail.com

w

(13) 981310537

whatsapp